Banca & Finanças Novo Banco já garantiu compra de 28% de toda a dívida 

Novo Banco já garantiu compra de 28% de toda a dívida 

O Novo Banco já assegurou a compra de 2.343 milhões de euros de obrigações, ou seja, 28% da dívida objecto da oferta de aquisição. Como a operação tem êxito com a compra de 6.276 milhões, faltam menos de 4.000 milhões para cumprir o objectivo. 
Novo Banco já garantiu compra de 28% de toda a dívida 
Raquel Wise/Sábado
Maria João Gago 09 de setembro de 2017 às 05:36

As assembleias-gerais de obrigacionistas do Novo Banco realizadas esta sexta-feira, 8 de Setembro, já permitiram assegurar a compra de 2.343 milhões de euros da dívida sénior da instituição, de acordo com os dados da instituição. Isto porque em nove das 36 linhas de obrigações, os investidores aprovaram o mecanismo de solicitação de consentimento de reembolso antecipado, o que permite ao banco liderado por António Ramalho (na foto) garantir a compra da totalidade dos títulos destas nove emissões. 

 

Em causa estão 28% dos cerca de 8.300 milhões de obrigações seniores que o Novo Banco quer comprar para gerar 500 milhões de euros de solidez, condição indispensável à concretização da venda da instituição à Lone Star.

 

Tendo em conta que, para o êxito da oferta de compra basta assegurar a aquisição de 75% dos títulos, ou seja, 6.276 milhões, com as reuniões desta sexta-feira, o Banco já garantiu 37% deste objectivo mínimo para o sucesso da operação. 

 

Em 15 das linhas de obrigações, os investidores votaram contra o mecanismo de solicitação de consentimento de reembolso antecipado, o que significa que o Novo Banco não pode obrigar os investidores a venderem os seus títulos, ao contrário do que acontece com as 9 emissões em que esta proposta foi viabilizada. No entanto, isso não significa que até 2 de Outubro, dia em que termina a operação, estes obrigacionistas não possam vender os seus títulos. 

 

Por outro lado, há ainda 12 linhas de obrigações em que a proposta para accionar o mecanismo de solicitação de reembolso antecipado só será votada a 29 de Setembro, data prevista para a realização da segunda convocatória das assembleias-gerais. Nessas reuniões, o quórum necessário à aprovação da proposta do Novo Banco é mais fácil de obter, já que basta a presença de 33% dós obrigacionistas para a assembleia se realizar, mantendo-se a necessidade de 75% dos votos para a medida ser aprovada. 




A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 2 semanas

Será que depois desta crises com os bancos ainda sobrou algum idiota?
Será que houve algum português que não sabe o que sucedeu aos depositantes do BES ou nunca viu na tv as manifestações junto à sede do BES na Av. da Liberdade?
Remember: Os idiotas unidos jamais serão vencidos.

Anónimo Há 2 semanas

Quem com ferros mata com ferros morre.
Os credores devem fazer ao Novo Banco o que eles fizeram aos seus devedores. Foi penhorar sem dó nem piedade.

General Ciresp Há 2 semanas

Areia demais para a minha camineta,e nem sei se ha tanta obra para o consumo de tanta areia.Ja comecam a vir com palestra de fugir dos RADARES do povo comum.

pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub