Banca & Finanças Novo Banco já garantiu compra de 55,4% do total da sua dívida

Novo Banco já garantiu compra de 55,4% do total da sua dívida

O Novo Banco já garantiu a compra de 55,4% da sua dívida, graças à aprovação do mecanismo que torna a oferta de compra compulsiva para 16 linhas de obrigações. Falta comprar menos de 20% para que a operação tenha sucesso.
Novo Banco já garantiu compra de 55,4% do total da sua dívida
David Martins/Correio da Manhã
Maria João Gago 29 de setembro de 2017 às 14:22

O Novo Banco já conseguiu assegurar a compra de 55,4% do total da sua dívida depois de os investidores de 16 linhas de obrigações terem aprovado o carácter obrigatório da oferta de aquisição dos títulos. Para que a operação tenha êxito falta agora conseguir comprar uma fatia de 20% dos títulos, já que a condição de sucesso da oferta implica a compra de 75% das obrigações. 

 

A aprovação do carácter compulsivo da certa foi aprovada para 7 linhas de obrigações, nas assembleias gerais realizadas esta sexta-feira em Londres, segundo informou a instituição em comunicado publicado no site da CMVM. Mas já antes, a 8 de Setembro, tinha sido aprovado este mecanismo para outras nove emissões. 

 

No total, a aprovação do carácter compulsivo da oferta de compra permitiu assegurar a aquisição de um total de 4.075 milhões de euros. Além disso, o Novo Banco já possui ordens irrevogáveis de venda que elevam o valor da dívida cuja compra está assegurada a um total de 4.604 milhões de euros, ou seja, 55,4% do total de 8.300 milhões que a instituição se propôs comprar nesta operação. 

 

De acordo com as condições definidas, para que a operação tenha sucesso, o Novo Banco tem de conseguir adquirir 75% da sua dívida. Mas este requisito pode ser dispensado. Na verdade, o objectivo da oferta é gerar uma folga de solidez de 500 milhões de euros, meta indispensável para que a instituição possa ser vendida à Lone Star. 

 

Depois das assembleias-gerais desta sexta-feira, os investidores têm até às 18:00 de segunda-feira, 2 de Outubro, para dar ordens de venda das suas obrigações. 


(Notícia actualizada às 14:46 com mais informação)
(Correcção: O Novo Banco garantiu 55,46% do total da sua dívida e não 73% como inicialmente escrito)