Empresas Novo hotel de quatro estrelas em Famalicão vai criar 26 empregos

Novo hotel de quatro estrelas em Famalicão vai criar 26 empregos

Vai nascer numa antiga quinta rural com 16 hectares, em Famalicão, e chamar-se Hotel Quinta das Pirâmides - um quatro estrelas superior, inicialmente com 32 quartos e dotado de spa e centro de congressos, num investimento de três milhões de euros.
Novo hotel de quatro estrelas em Famalicão vai criar 26 empregos
O grupo portuense Miroma vai investir três milhões de euros na construção do Hotel Quinta das Pirâmides, em Famalicão.
Rui Neves 23 de janeiro de 2018 às 11:33

O terceiro concelho mais exportador do país, que, apesar desta pujança económica, continua deficitário em termos de alojamento hoteleiro, vai contar com mais uma unidade hoteleira, um quatro estrelas superior direccionado sobretudo para o turismo de negócios, a edificar numa antiga quinta rural com 16 hectares, em Telhado, Vila Nova de Famalicão.

 

Promovido pelo grupo portuense Miroma, o futuro Hotel Quinta das Pirâmides será construído em duas fases, num investimento inicial orçado em três milhões de euros.

 

A primeira fase contempla a recuperação de parte do edificado para 32 quartos, SPA com 600 metros quadrados, dois restaurantes, salas de congressos para 300 pessoas e estacionamento. A expansão da capacidade hoteleira do complexo ficará para uma segunda fase.

 

O novo "resort" deverá gerar 11 empregos directos e 15 indirectos, garante a Câmara de Famalicão, que manifestou, na última reunião do executivo camarário, por unanimidade, o interesse público do projecto para o concelho.

 

Segundo o município famalicense, a construção deste equipamento hoteleiro procura tirar partido do espaço rural, da beleza natural da quinta e da zona envolvente, aproveitando a proximidade aos castros históricos de Vermoim e Santa Cristina, a sua referência na obra de Camilo Castelo Branco e aproveitando a localização estratégica, muito perto das cidades de Braga, Guimarães e Famalicão.

 

"É uma boa notícia para o concelho de Vila Nova de Famalicão que, reconhecidamente, se encontra deficitário em termos de alojamento hoteleiro, apesar do crescimento que tem existido no sector nos últimos anos", assinala o presidente da autarquia, Paulo Cunha, recordando "o enorme potencial do concelho para o mercado, não só pela localização geográfica particularmente privilegiada mas também pela presença diária no território de muitos estrangeiros relacionados com a forte actividade empresarial e industrial do concelho".




A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Mr.Tuga Há 3 semanas

E já agora deveria receber subsídios e uma enorme medalha em evento proprio devido a criação de 11 empregos directos e 15 indirectos...., altamente qualificado.

Uma "fartura"

Mr.Tuga Há 3 semanas

Cá a pocilga atrasadita da Europa e OCDE deveria mudar de nome para : HOTELgal.... ou ALgal.... ou PENSÃOgal....

Carlos Há 3 semanas

Estas ofertas nem deviam existir tal é a exploração.

hahahahahahahha Há 3 semanas

Empregos? 600 euros? ahahhahahahahahhahahah O patrão que sirva à mesa.

ver mais comentários
pub