Banca & Finanças Novo Banco: custos de pessoal garantem meta para redução de despesas

Novo Banco: custos de pessoal garantem meta para redução de despesas

A redução de custos de pessoal foi a principal via para o Novo Banco cumprir a meta de diminuição de despesas gerais acordada com Bruxelas. Instituição deve chegar ao final do ano com poupanças de 20% face a 31 de Dezembro.
Novo Banco: custos de pessoal garantem meta para redução de despesas
Miguel Baltazar
Maria João Gago 19 de Outubro de 2016 às 10:56

O Novo Banco deve chegar ao final do ano com custos operacionais de 602,8 milhões de euros, o que significa uma redução de 20% face ao final de 2015. Este valor permitirá cumprir a meta de conseguir poupanças de 150 milhões de euros este ano, tal como foi acordado com Bruxelas, já que a redução será de 152 milhões.

 

Para alcançar este objectivo, foi essencial a redução de custos com pessoal, de acordo com os dados apresentados por António Ramalho, presidente da instituição, na comissão parlamentar de Trabalho. Os gastos com recursos humanos deverão recuar 23,5%, passando de 397 milhões a 31 de Dezembro para 303,9 milhões no final deste ano.

 

Este contributo não será alheio ao processo de redução de pessoal levado a cabo nos últimos meses e que ascenderá a 1.253 trabalhadores, incluindo as operações a ser alienados. Deste total, 1.034 saíram da actividade central do Novo Banco, acima do objectivo de redução de 1.000 quadros acordada com a Comissão Europeia.

 

Já as despesas com fornecimentos e serviços externos deverão diminuir 21,1% durante este ano, fixando-se em 239 milhões de euros.

 

 

 




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Ó valha-nos Santa Ingrácia Há 2 semanas

Pronto, corta-se no pessoal e tá feito.

Se fosse na Função Publica caia o CARMO E A TRINDADE, os XUXXAS, os KUMUNAS e os BROCHIISTAS reclamavam e ameaçavam tudo e todos.

Agora com a GERINÇONÇA, tá tudo caladinho que nem RATOS.

São privados ? Que se FOODAM, né ?
Tristeza.

pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub