Banca & Finanças Num cenário adverso, Portugal injectará capital no Novo Banco

Num cenário adverso, Portugal injectará capital no Novo Banco

O Estado ainda poderá vir a ser chamado a injectar mais capital no Novo Banco, se em “circunstâncias adversas graves” a Lone Star não puder cobrir estas necessidades. Bruxelas revela que Portugal disponibilizará “capital adicional limitado”.
Num cenário adverso, Portugal injectará capital no Novo Banco
Maria João Gago 11 de outubro de 2017 às 15:32

O Novo Banco ainda poderá receber dinheiro do Estado mesmo depois da venda da instituição à Lone Star. Esta foi uma das medidas aprovadas por Bruxelas para concluir a resolução do BES e apoiar a venda da instituição que ficou com os seus despojos.

 

No entanto, esta mobilização de fundos públicos só ocorrerá no caso de o Novo Banco vir a enfrentar "necessidades de capital em circunstâncias adversas graves que não possam ser resolvidas pela Lone Star". Neste cenário extremo, Portugal disponibilizará capital adicional limitado, refere o comunicado da Comissão Europeia divulgado esta quarta-feira, 11 de Outubro.

 

Bruxelas não especifica qual o valor máximo que Portugal está autorizado a injectar no Novo Banco nesse cenário extremo. Por outro lado, também não é especificado se essa mobilização poderá ser feita directamente pelo Estado ou se a injecção será feita, indirectamente, por exemplo, através do Fundo de Resolução. Mas o Negócios sabe que está em causa uma ajuda estatal, pelo que, a haver necessidade, será o Estado a injectar estes fundos.

(Notícia actualizada às 17:01 com informação de que a injecção no cenário adverso será assegurada directamente pelo Estado)



A sua opinião11
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Pierre Ghost Há 1 semana

Ora contem:
- 4.000M - BANIF
- 5.000M - CGD
- 400M - lesados BES
- 600M - renegociaçao fundo resoluçao
- 700M - Montepio Geral
Vêm porque correram com o PPC- PSD ???
A banca foi quem pos o bosta no poleiro !!!

Anónimo Há 1 semana

Enfim, num cenário adverso o Estado tem que meter dinheiro na CGD, BCP, BPI, NB e outros. Não foi o que aconteceu já?

Anti-Bostix Há 1 semana

Bostix, por acaso o Sócrates nasceu no Sul ?

O teu problema é que o Porto é uma aldeia mais pequena que Faro ou que Braga. Vê lá se não temos que vos por na ordem como os espanhois fizeram com os catalães.

No dia que produzirem alguma coisa de jeito para o País, aí sim, podes falar.

Lusitano Há 1 semana

Mais uma notícia de M ....

Em caso de extrema adversidade, o Estado mete dinheiro nos Bancos todos, como aliás já aconteceu.

Se não têm notícias tirem férias e o patrão agradece.

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub