Turismo & Lazer Nunca um Outubro rendeu tanto aos hotéis

Nunca um Outubro rendeu tanto aos hotéis

Em três anos, os hotéis em Portugal sentiram uma subida de 100 milhões de euros nos proveitos só no mês de Outubro. Hóspedes, dormidas e proveitos registaram aumentos de dois dígitos. Mas o número de noites continua a cair.
Nunca um Outubro rendeu tanto aos hotéis
Bruno Simão
Diogo Cavaleiro 15 de dezembro de 2016 às 12:26

Os hotéis estão a retirar frutos do aumento da actividade turística em Portugal. Aumentos "expressivos", classifica o Instituto Nacional de Estatística (INE) em relação ao passado mês de Outubro. Os proveitos totais nunca foram tão altos e correspondem mesmo ao dobro do que entrava nos cofres hoteleiros em 2004.

 

Os hotéis em Portugal arrecadaram, em Outubro, 270 milhões de euros em aposento e outros serviços oferecidos, o que representa um aumento de 19,8% em relação ao mês homólogo. São proveitos totais superiores aos de Outubro de 2015 mas também de todos os Outubros anteriores. São quase 100 milhões de euros a mais do que os conseguidos em 2013. Em 2004, foram obtidas pela hotelaria receitas de 134 milhões – agora duplicadas.

 

Apesar deste aumento, o passado mês de Outubro fica, em termos de receitas, atrás dos meses de Verão e ainda de Junho e Setembro. Face a 2015, este mês teve um feriado que havia sido extinto (5 de Outubro).

 

O destaque do INE, divulgado esta quinta-feira 15 de Dezembro, não traz nenhuma explicação para esta evolução, a não ser referir que este aumento tem ocorrido desde o início do ano. "No conjunto dos dez primeiros meses do ano, os proveitos totais aumentaram 16,7%".

 

"Observaram-se aumentos expressivos em todas as regiões, principalmente Açores (40,2%), Algarve (21,7%) e Norte (22,3%)", indica a nota do instituto. Lisboa marcou uma subida de 17,2% para 93,5 milhões de euros nos proveitos totais, sendo a mais representativa. 

 

Segundo os dados do INE, Outubro teve variações superiores a 10% em praticamente todos os indicadores. Por exemplo, os 1,8 milhões de hóspedes que representaram 5 milhões de dormidas registados são números 12% acima dos verificados no mês homólogo.

 

Números positivos de Outubro que antecipam Novembro, quando se realizou em Lisboa a Web Summit. Ontem, a Associação da Hotelaria de Portugal referiu que a aposta foi "ganha" mas admitiu que os números ficaram abaixo do antecipado pelos agentes do sector.

Há um dado, contudo, que conta com o símbolo menos (-) em Outubro. A estada média naquele mês diminuiu 0,3% de 2,76 para 2,75 noites por hóspede. "Considerando o período de Janeiro a Outubro, os resultados deste indicador foram igualmente decrescentes (-0,5%; 2,85 noites)". É nas viagens para a Madeira que os turistas ficam mais tempo a dormir em hotéis, num total que supera a média de 5,10 noites, abaixo, ainda assim, das 5,37 noites registadas em Outubro de 2015. 




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 17.12.2016

Vergonhoso o que ouvi ontem no sexta às 9.Boys no TP.Concursos anulados porque o boy não foi selecionado.Ninguém faz nada?Porque razão o diretor geral do turismo é da família Pestana?Com que intuito está lá.Promiscuidade tota.Qual o ordenado? Pelos vistos o do serviço de origem.Qual?Como é possível?

pub
pub
pub
pub