Banca & Finanças Nuno Amado manteve remuneração de 385 mil euros em 2016

Nuno Amado manteve remuneração de 385 mil euros em 2016

As remunerações no BCP não sofreram alterações entre 2015 e 2016. No total, o banco gastou mais de dois milhões de euros na remuneração do conselho executivo.
Nuno Amado manteve remuneração de 385 mil euros em 2016
.
Sara Antunes 10 de abril de 2017 às 19:25

O presidente executivo do BCP auferiu 385,16 mil euros em 2016, de acordo com o relatório e contas publicado esta segunda-feira, 10 de Abril, na Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM). Este valor é idêntico à remuneração de 2015 e inclui pagamento directo do BCP e através sociedades do grupo.

 

Os vice-presidentes executivos, Miguel Maya Pinheiro e Miguel Bragança, também mantiveram as suas remunerações no valor de 308,13 mil euros.

 

No total, o BCP gastou 2,08 milhões de euros com a remuneração dos sete membros do conselho executivo. Um valor inferior aos 2,176 milhões de euros de 2015.

Estes valores dizem respeito apenas a remunerações. Incluíndo outros pagamenots, como complementos de reforma e outros encargos, o BCP ganhou 3,294 milhões de euros aos seus administradores executivos, abaixo dos 3,975 milhões de euros dispendidos em 2015. 

Quanto aos membros não executivos, a remuneração total foi de 650 mil euros, também abaixo dos 715 mil euors de 2015. O BCP, no relatório de gestão de 2016, revela ainda as remuneações com os elementos chaves de gestão, que inclui outros gestores além de administradores. A estes gestores o BCP pagou uma remuneração total de 6,988 milhões de euros em 2016, em linha com os valores de 2015 (7,077 milhões de euros). 

 

As remunerações dos gestores do banco mantiveram-se em 2016 face ao ano anterior, num período em que os lucros caíram 90% para 23,9 milhões de euros. No ano passado, as imparidades registadas pelo BCP superaram os mil milhões de euros, o que penalizou fortemente os resultados da instituição liderada por Nuno Amado.





A sua opinião8
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo 10.04.2017

E nem despedir excedentários e automatizar o que deve ser automatizado sabem.

comentários mais recentes
SALAZAR 11.04.2017

MAS DEPOIS O PORTUGUÊS É QUE ANDA A RESGATÁ-LOS... O TUGA GOSTA DE SER ROUBADO.

Nonagésimo 11.04.2017

E fez ele bem

Camponio da beira 10.04.2017

devia estar indexado ao valor das acções, assim deveria receber um centimo aproximadamente,

Investidor 10.04.2017

É obviamente impopular dizê-lo, mas um salário deste nivel não é excessivo para o CEO do maior banco privado português. Nem só os futebolistas podem e devem ganhar muito (mas isso ninguem acha mal - nem eu aliás).

ver mais comentários
pub