Banca & Finanças Nuno Amado: “Não achamos que haja situação de bolha de preço” no imobiliário

Nuno Amado: “Não achamos que haja situação de bolha de preço” no imobiliário

O Banco de Portugal apertou as regras de concessão de crédito à habitação mas, para o presidente do BCP, não há uma bolha. “Nem de perto, nem de longe”. Mas admite diferenças regionais.
Nuno Amado: “Não achamos que haja situação de bolha de preço” no imobiliário
Miguel Baltazar
Diogo Cavaleiro 14 de fevereiro de 2018 às 19:02

Não há bolha no imobiliário. Esta é a posição do Banco Comercial Português (BCP) que, contudo, assegura que vai cumprir as recomendações do Banco de Portugal para apertar a concessão do crédito à habitação.

 

"Não achamos que haja uma situação de bolha de preço. Nem de perto nem de longe", considerou Nuno Amado esta quarta-feira, 14 de Fevereiro, na conferência de imprensa em que o BCP divulgou lucros de 186,4 milhões de euros em 2017.

 

Ainda assim, Nuno Amado admite que há diferentes realidades, nomeadamente regionais. "Achamos que não há um mercado para a habitação. Há diversos mercados. Há áreas onde os preços subiram, há áreas onde os preços não subiram tanto. Há habitação com diferentes objectivos", frisou o responsável executivo do banco privado.

 

O Banco de Portugal decidiu recomendar aos bancos maiores exigências na avaliação do devedor quando aceita emprestar dinheiro, nomeadamente limites na taxa de esforço e nas maturidades. "Compete ao regulador antecipar as coisas. Nós cumprimos", concluiu.




Saber mais e Alertas
pub