Media Nuno Artur Silva sai da RTP e Gonçalo Reis reconduzido na presidência até 2020

Nuno Artur Silva sai da RTP e Gonçalo Reis reconduzido na presidência até 2020

Dos actuais três membros da administração da RTP, apenas Gonçalo Reis será reconduzido na liderança do operador público.
Nuno Artur Silva sai da RTP e Gonçalo Reis reconduzido na presidência até 2020
Sara Ribeiro 25 de janeiro de 2018 às 17:26

O Conselho Geral Independente da RTP não convidou Nuno Artur Silva nem Cristina Vaz Tomé para continuarem na administração do canal público. Gonçalo Reis, actual presidente da RTP, vai renovar o mandato à frente da empresa por mais três anos, como o Negócios tinha noticiado.

"O CGI da RTP, na sua primeira reunião com todos os membros em plenitude de funções, decidiu comunicar ao Governo, na pessoa do senhor ministro da Cultura, a sua decisão de convidar Gonçalo Reis a apresentar um Projecto Estratégico para a RTP, para o triénio de 2018-2020", informou o órgão que supervisiona a administração da estação pública.

Como o Expresso noticiou, a decisão do CGI de não convidar Nuno Artur Silva, que tinha o pelouro do dos conteúdos, para ser reconduzido foi anunciada esta quinta-feira, 25 de Janeiro.

O CGI justifica a não renovação do mandato de Nuno Artur Silva com o facto de ser "incompatível com a irresolução do conflito de interesses entre a sua posição na empresa e os seus interesses patrimoniais privados, cuja manutenção não é aceitável".

Porém, sublinha que "no âmbito das suas funções de supervisão e fiscalização", não "verificou que isso tenha sido lesivo da empresa, no decurso do seu mandato".

Quando Nuno Artur Silva tomou posse na RTP, abdicou de todos os cargos que tinha na empresa Produções Fictícias e no Canal Q. Porém, continuou a deter as participações nas mesmas, o que gerou críticas de eventuais favorecimentos de conteúdos desenvolvidos pela Produções fictícias, bem como de colaboradores da produtora.

Cristina Vaz Tomé, que tinha o pelouro financeiro, também estará assim de saída do conselho de administração da RTP. Sobre a gestora, o CGI aproveita para agradecer a "gestão empresarial eficiente, que se saldou pelo equilíbrio das contas e pela estabilização financeira, ao longo dos três anos de mandato".

O CGI informou ainda que "está a ultimar" as "Linhas de Orientação Estratégica", plano que será elaborado através da realização "de reuniões com um conjunto alargado de responsáveis da empresa".



(Notícia actualizada com mais informações às 17:47)

 




A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Quero é mais touradas ! Há 2 semanas

Eu quero é ver mais touradas e programas sobre tauromaquia na RTP

Mr.Tuga Há 4 semanas

Politiqueiros de MERD* que venderam as joias monopolistas e RENTAVEIS! e deixaram este ESTERCO* de empresa que nos chul+a com a aberração da contribuição audio-visual e mantem milhares de parasitas principescamente pagos!
Esta coisa RTPê, que de "serviço publico" só TEBÓIS é um excremento!

Anónimo Há 4 semanas

Fantástico, vão embora os competentes com carreira e vida privada. Fica o homem do sistema... é o País que temos. O público repudia a competência e agarra-se aos caciques! Fantástico!

Invicta Há 4 semanas

Quando para lá foi, esperava-se uma revolução na RTP. O que se viu? Mais do mesmo. Não passa de um canal carregado de publicidade e com programas de duvidosa qualidade. Se era para aumentar audiências, não aconteceu. Mas que a qualidade piorou, não há dúvida!

ver mais comentários
pub