Banca & Finanças O plano para pôr a Caixa a dar lucro
Assinatura Digital. Negócios Primeiro Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE

O plano para pôr a Caixa a dar lucro

É sobretudo no corte de custos que assenta o plano que vai pôr a CGD a dar lucro. Além de gastos de pessoal e fornecedores, banco continuará a reduzir a remuneração dos depósitos. Este ano, perdas chegam a 3.000 milhões. Em 2020, lucro deve ser de 670 milhões.
O plano para pôr a Caixa a dar lucro
Miguel Baltazar/Negócios
Maria João Gago 07 de dezembro de 2016 às 00:01

O plano de negócios que pretende pôr a Caixa Geral de Depósitos a dar novamente lucros assenta, sobretudo, no

Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE
Análise, informação independente e rigorosa.
Para saber o que se passa em Portugal e no mundo,
nas empresas, nos mercados e na economia.
  • Inclui acesso ao ePaper, a versão do Negócios tal como é impresso em papel. Veja aqui.
  • Acesso ilimitado a todo o site negocios.pt
  • Acesso ilimitado via apps iPad, iPhone, Android e Windows
Saiba mais



A sua opinião11
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado JCG 07.12.2016

Fonte: APB (Associação Portuguesa de Bancos; está na internet) / Estudos e Pulicações/ Boletim Estatístico nº 51, anual (contas dos bancos de 2015).

5 maiores bancos somados, excluindo a CGD e o NB, contas no final de 2015: número de trabalhadores em Portugal: 27.022; custos com o pessoal (contas individuais): 1.273,4 milhões de euros; custo médio por trabalhador: 47,1 mil euros no ano.

CGD: número de trabalhadores: 8.410; custos com o pessoal: 590,8 milhões de euros; custo médio por trabalhador: 70,2 mil euros.

Diferença de custos: 23,1 mil euros. Vezes 8.410 trabalhadores, igual a 194,3 milhões de euros.
Custo a mais suportado pela CGD comparativamente à hipótese de ter pago (salários mais encargos) um valor em linha com a média dos 5 bancos.

É claro que houve reduções de trabalhadores ao longo de 2015, mas comparam-se números numa mesma base ou conceito e em todos os bancos maiores houve reduções de pessoal.

comentários mais recentes
JVR 07.12.2016

Com os juros dos depósitos a prazo em 0,14% líquidos a massaroca vai começar voar do Caixote. Se continuarem assim naõ há previsoes que resistam ao futuro do caixote.

JCG 07.12.2016

Eu gostaria de ver é um plano que:
1º não sacasse mais dinheiro aos acionistas/ contribuintes;
2º que não cobrasse mais aos clientes pelo mesmo, aumentando os proveitos não por vender mais mas por cobrar mais.
Assim é fácil. É a cartilha habitual da gestão à portuguesa. Vão buscar os pressupostos maiores crânios, e os pressupostos maiores cránios limitam-se a fazer mais do mesmo.






Anónimo 07.12.2016

Eu tenho um plano mas é para não ter q gastar mais um tusto em cancros fechem essa porcaria de vez, Funcionarios todos para o desemprego sem compensações, creditos perdoados e credores a ver navios. Em 2020 vamos estar na mesma ou pior e depois quero ver.

Anónimo 07.12.2016

O plano para pôr a Caixa a dar lucro

ESTIVE A LER O PLANO E PARECE-ME QUE TERIA SIDO MAIS FÁCIL DISTRIBUIR OS PREJUIZOS PELOS CLIENTES E TÍNHAM O ASSUNTO ARRUMADO.
RESTA SABER SW QUANDO O PLANO FOR TERMINADO, ANDA RESTARÃO CLIENTES NA CGD!

ver mais comentários
Notícias só para Assinantes
Exclusivos, análise, informação independente e credível. Para saber o que se passa em Portugal e no mundo, nas empresas, nos mercados e na economia. Inclui acesso à versão ePaper.
Mais uma forma de ler as histórias
da edição impressa do Negócios.
Se ainda não é Assinante Saiba mais
pub
pub
pub
pub