Tecnologias O rapaz que queria ser "youtuber" e contratou 100.000 euros de publicidade da Google por engano

O rapaz que queria ser "youtuber" e contratou 100.000 euros de publicidade da Google por engano

Foram 100.100 euros que a Google pediu pela contratação do seu serviço de publicidade nos vídeos que José Javier, de 12 anos, colocava no Youtube. Eram actuações da banda musical onde toca trompete. Pensou que iria ganhar muito dinheiro. Mas foi ao contrário.
O rapaz que queria ser "youtuber" e contratou 100.000 euros de publicidade da Google por engano
Reuters
Carla Pedro 04 de Outubro de 2016 às 17:25

José Javier tem 12 anos e toca trompete numa banda de música de Torrevieja, em Alicante, que se chama Los Salerosos. Disseram-lhe que poderia ganhar muito dinheiro, e que rapidamente conseguiria dinheiro suficiente para comprar uma mansão, se adicionasse publicidade aos vídeos que colocava no Youtube com as novas músicas da banda. Mas enganou-se e, afinal, contratou publicidade. Agora, os pais reclamam que a Google apresentou, em menos de um mês, uma factura de 100.100 euros.

 

Afinal, Javier só queria ser um "youtuber" famoso e ganhar muito dinheiro, tal como os seus ídolos musicais, mas as coisas não correram de feição. Cometeu um erro: aquilo que pensou que iria servir para receber dinheiro, através dos anúncios que aparecessem associados aos seus vídeos, estava afinal a custar-lhe dinheiro, explica o El País.

 

Esta história mostra os riscos de se aceitar um serviço na Internet sem ler as condições, sublinha o mesmo jornal. A mãe, Inma Quesada, explica que tudo começou em meados de Agosto, quando o rapaz contratou por erro o produto AdSense do serviço Google Adwords, que publicita e posiciona vídeos e webs de cibernautas na rede.

 

Os pais tinham uma conta bancária criada para o filho, destinada a mais tarde pagar-lhe a carta de condução, cujo saldo era de 2.000 euros. Javier deu esse número de conta e o seu nome. Bastou isso para contratar o produto, apesar de ter 12 anos. Em inícios de Setembro começaram a chegar as contas, que foram subindo rapidamente, passando de 15 euros para 19.700 euros, refere o El País.

 

Num instante a conta ficou com saldo negativo e o banco alertou os pais do menor, que a bloquearam de imediato. Mas a Google enviou nova factura, desta vez de 78.000 euros. Total: 100.100 euros.

 

A família – com três filhos, a mãe desempregada e o pai vendedor ambulante – teve de contratar um advogado. E quer saber como pode a Google ter aceite a contratação de um serviço por parte de um menor – um seu amigo de 15 anos ajudou-o – e como podem os custos ter ascendido a 100.000 euros em menos de um mês.

 

Os dois rapazes contrataram, "seguindo dois passos muito simples" e "sem que lhes pedissem o bilhete de identidade ou a idade, apenas pediam um nome e uma conta bancária", contou a mãe ao website de informação Mediodía COPE.

 

A Google disse estar a par do caso e que estava a investigá-lo, mas a família não tinha ainda recebido qualquer contacto por parte da empresa até hoje de manhã. Entretanto, pelas 13h de hoje (em Espanha), a tecnológica norte-americana emitiu um comunicado que o El País já divulgou: "Analisámos este caso e não recebemos dinheiro por parte deste utilizador. Vamos cancelar o saldo pendente na AdWords. Muitos serviços online, incluindo o AdWords da Google, têm restrições de uso devido à idade. Sabemos o quão importante é manter em segurança o círculo familiar, por isso os pais podem encontrar informação sobre como fazê-lo no Centro de Segurança Familiar da Google".




A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo 04.10.2016


FP e CGA - SEMPRE A ROUBAR À GRANDE

E não deixa de ser anedótico que o contribuinte que vê a sua reforma cada vez mais longe e mais baixa, ainda seja chamado para pagar as reformas da CGA.

Fica aqui a lista do pilim que a CGA consome ao OE (e que todos os contribuintes pagam):

Milhares de € - Pordata

Ano - Receitas CGA / Trf Orç. Estado / Despesa total

2008 - 2.298.320,0 / 3.396.097,0 / 6.705.927,0

2010 - 3.453.777,2 / 3.749.924,6 / 7.489.193,3

2012 - 2.846.863,0 / 4.214.632,7 / 7.196.785,9

2015 - 4.927.319,1 / 4.601.342,3 / 9.528.661,4

comentários mais recentes
Peter Patilhas 04.10.2016

"dinheiro suficiente para comprar numa mansão" e ele ia comprar o quê, na mansão?

Vitor Costa 04.10.2016

??

Anónimo 04.10.2016

http://usuncut.com/

SlideTrax 04.10.2016

who else loves this ?

ver mais comentários
pub