Construção Obras públicas mais que duplicam para máximos de 2011

Obras públicas mais que duplicam para máximos de 2011

Os concursos que foram abertos para a realização de obras públicas superam os 2 mil milhões de euros nos primeiros oito meses deste ano.
Obras públicas mais que duplicam para máximos de 2011
Miguel Baltazar
Nuno Carregueiro 22 de setembro de 2017 às 10:59

As obras públicas continuaram em Agosto a aumentar a bom ritmo, permitindo que os concursos lançados nos primeiros oito meses do ano superem já a barreira dos 2 mil milhões de euros, o que acontece pela primeira vez desde 2011, ano em que Portugal solicitou assistência financeira internacional, o que provocou uma forte travagem neste sector.

 

De acordo com o barómetro das obras públicas da AICCOPN, o total de concursos de empreitadas que foram promovidos nos primeiros oito meses do ano atingiu 2.108 milhões de euros. Trata-se de um crescimento de 105% face ao mesmo período do ano passado.

 

O valor deste ano ainda poderá superar o anterior máximo fixado em 2011, já que nesse ano foram lançados concursos no valor de 2.730 milhões de euros.

 

"No entanto, em termos médios, entre 2001 e 2016, a promoção de procedimentos situou-se em 3.026 milhões de euros, o que demonstra que, apesar do elevado ritmo de crescimento, os níveis actuais ainda estão longe de valores considerados normais", refere a AICCOPN.

 

2017 está a ser marcado por um aumento significativo do investimento público, com uma recuperação face aos cortes registados nos anos anteriores, com destaque para 2016.

 

Os sinais de recuperação forte no sector da construção têm sido vários ao longo dos últimos meses. Os dados publicados pelo INE com as contas nacionais do segundo trimestre mostram que o sector teve o segundo melhor trimestre em mais de 20 anos

 

No relatório publicado esta sexta-feira, 22 de Setembro, a AICCOPN revela que no que diz respeito aos contratos celebrados e reportados no Observatório das Obras Públicas, o aumento até Agosto foi de 69% para 739 milhões de euros.

 

"Esta evolução, apesar de positiva, fica muito aquém do que se verifica ao nível dos concursos promovidos, pelo que o diferencial entre ambos, ascende já a 1.369 milhões de euros", refere a AICCOPN.

 

Os contratos celebrados em resultado de ajustes directos somam 475 milhões de euros, mais 41% face a 2016. O total de contratos celebrados e reportados, atingiu os 1.292 milhões de euros, ou seja, apresentam uma variação positiva de 52% em termos homólogos.




A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
jonebegood Há 1 dia

e porque será?

Anónimo Há 1 dia

É a "festa" das Autarquicas!
Vão surgir mais umas centenas de rotundas, pavilhões com nome de autarcas, ruas pavimentadas em frente a casa de políticos, etc...!
No fim...paga o municipe com mais taxas e taxinhas!!

Anónimo Há 1 dia

Até dia 1 outubro, vai um correr de noticias boas para todos os portugueses, para os juízes, os enfermeiros, os médicos, os funcionários públicos: è uma alegria! O pior vai ser dp do dia 1 da festa...

Anónimo Há 1 dia

Este aumento não terá a ver com as autárquicas?! Só fazem obras nos municípios em ano de eleições....

ver mais comentários
pub