Telecomunicações Oi chega a acordo com 27 mil credores para negociar dívida de 196 milhões de reais

Oi chega a acordo com 27 mil credores para negociar dívida de 196 milhões de reais

Até ao momento, a Oi negociou créditos de 196 milhões de reais com 27 mil credores no Brasil. Com o adiamento da assembleia, a operadora vai dar continuação ao programa de acordo para pequenos credores.
Oi chega a acordo com 27 mil credores para negociar dívida de 196 milhões de reais
Reuters
Sara Ribeiro 14 de novembro de 2017 às 15:46

A Oi chegou a acordo com 27 mil pequenos credores no Brasil, tendo conseguido negociar créditos de 196 milhões de reais (cerca de 51 milhões de euros). Os dados foram divulgados esta terça-feira, 14 de Novembro, durante a conference call com analistas no âmbito da divulgação dos resultados do terceiro trimestre, período em que regressou ao lucro.

A negociação deste montante insere-se no programa de acordo para credores lançado pela Oi para dívidas até 50 mil reais (13.000 euros). Ao abrigo deste programa, os pequenos credores recebem imediatamente 90% da dívida, com o restante montante a ser pago até 10 dias úteis após a homologação do plano de recuperação da operadora. Este programa foi aberto mais tarde aos credores portugueses, tendo alguns dos lesados da PT/Oi começado já a receber parte da dívida, como o Negócios noticiou.

Com o novo adiamento da assembleia geral de credores para 7 de Dezembro, o último passo para o processo de recuperação judicial ficar concluído, a Oi "dará continuação ao acordo para credores", referiu Carlos Brandão, actual director financeiro da operadora.

Além disso, vai continuar a negociar com todas as partes interessadas uma solução que "atenda a todos os stakeholders de forma equilibrada", acrescentou o presidente executivo da Oi, Marco Schroeder.

O líder da operadora, que tem a Pharol como maior accionista, está confiante que a assembleia irá decorrer na data estipulada. Além de assegurar que a operadora "está completamente preparada para realizar a assembleia" no próximo dia 7 de Dezembro, considera que é do interesse "de todos" realizar a reunião nessa data "para virar a página o quanto antes".

Marco Schroeder voltou a sublinhar que depois do processo de recuperação judicial estar concluído, "a Oi sairá fortalecida". E o cenário de uma eventual intervenção do regulador brasileiro (Anatel) "é extremado" e "neste momento inexistente".

Com uma dívida superior a 65,4 mil milhões de reais (17 mil milhões de euros), a 20 de Junho do ano passado a Oi avançou com um pedido de recuperação judicial, o maior da história brasileira.




pub