Desporto Oligarca russo oferece 1,3 mil milhões de dólares para controlar o Arsenal

Oligarca russo oferece 1,3 mil milhões de dólares para controlar o Arsenal

Detentor de uma posição minoritária no clube londrino, o oligarca russo Alisher Usmanov apresentou uma oferta de 1,3 mil milhões de dólares para adquirir os 30% detidos pelo magnata americano Kroenke, e assim passar a controlar a equipa inglesa.
Oligarca russo oferece 1,3 mil milhões de dólares para controlar o Arsenal
Reuters
Negócios 19 de maio de 2017 às 18:30

O Financial Times (FT) avança esta sexta-feira, 19 de Maio, que o oligarca russo do sector dos metais, Alisher Usmanov, quer passar a deter uma posição maioritária e controlar o capital social do Arsenal FC.

 

Citando três pessoas conhecedoras do processo, o FT refere que Usmanov, que actualmente detém 30% da sociedade do clube londrino, ofereceu 1,3 mil milhões de dólares para comprar os 67% detidos pelo magnata norte-americano Stan Kroenke, que ainda não terá formalizado nenhuma resposta.

 

A oferta terá sido apresentada no mês passado e avalia o Arsenal em 2 mil milhões de dólares mas, segundo refere o FT, o empreendedor americano terá dado uma indicação a informar que não está disposto a vender a sua posição no Arsenal ao oligarca russo nem a outro eventual oferente.

 

Até ao momento nenhum dos dois prestou qualquer declaração sobre a oferta que estará em cima da mesa. Ainda segundo o FT, Usmanov estará descontente com o rumo seguido pelos "gunners" nos últimos anos, em particular com a ausência de investimento feito na primeira equipa do Arsenal, que não vence o campeonato inglês desde a época 2003-2004 - que terminou sem nenhuma derrota para a turma orientada por Arsène Wenger.

 

O oligarca russo parece considerar que o grande responsável pelo insucesso do clube não é Wenger, de quem se diz estar de saída da equipa que orienta desde 1996 e onde foi campeão em três ocasiões. Usmanov atribui o essencial das responsabilidades a Kroenke e restante administração, à qual o russo não pertence.

 

Usmanov é natural de uma região que é hoje parte do Uzbequistão, tendo comprado a primeira parcela de acções (14,6% por 75 milhões de libras) do Arsenal em 2007, numa parceria com Farhad Moshiri. Foi já em 2016 que o russo chegou ao patamar actual de 30%, comprando a fatia detida por Moshiri que, por sua vez, investiu no Everton, outro clube da principal liga inglesa.

 

Já Kroenke, um magnata com investimentos na área do imobiliário e do desporto e que é casado com Ann Walton, herdeira da cadeia Wal-Mart, entrou inicialmente no capital do Arsenal em 2007, tendo garantido uma posição maioritária há quatro anos. Kroenke tem participações em diversas equipas nos Estados Unidos, como os Denver Nuggets da NBA ou ainda a Colorado Avalanche da NHL.


A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Conselheiro de Trump Há 6 dias

Admiro a Russia por praticar o comunismo do canhoto jeronimo:tudo publico e todos iguais:nem ricos nem pobres.E de meter inveja.(Des)viva o canhoto jeronimo.Morte ao constrangimento.

pub