Media Operadora de Isabel dos Santos suspende transmissão de dois canais da SIC em Angola

Operadora de Isabel dos Santos suspende transmissão de dois canais da SIC em Angola

A difusão da SIC Internacional e SIC Notícias foi suspensa depois dos canais terem recentemente divulgado reportagens críticas ao regime de Luanda.
Operadora de Isabel dos Santos suspende transmissão de dois canais da SIC em Angola
Miguel Baltazar/Negócios
Negócios com Lusa 14 de março de 2017 às 19:01

A operadora de televisão por satélite angolana Zap, da empresária Isabel dos Santos, interrompeu hoje a difusão dos canais SIC Internacional e SIC Notícias nos mercados de Angola e Moçambique, decisão à qual a SIC "é alheia".

 

De acordo com a agência noticiosa AFP, a difusão dos dois canais portugueses foi hoje suspensa, depois de recentemente terem divulgado reportagens críticas ao regime de Luanda.

 

Contactada pela Lusa, fonte oficial da estação de Carnaxide disse que "a SIC é alheia à decisão da retirada da SIC Internacional e SIC Notícias da plataforma de distribuição Zap em Angola e Moçambique".

Questionado na SIC Notícias sobre esta situação, Francisco Pedro Balsemão, CEO da Impresa, afirmou que "a SIC Internacional África é uma aposta que foi lançada ontem e, lamentavelmente, não estamos em todas as plataformas que gostaríamos", também justificando tal facto com "razões que nos são alheias". 

O CEO da Impresa acrescentou, porém, esperar que a Zap venha a integrar a SIC Internacional África na sua plataforma, dizendo estar certo de que "no futuro isso voltará a acontecer". 

 

"Esta distribuidora continuará a exibir os canais SIC Radical, SIC Mulher, SIC K e SIC Caras em exclusivo para os mercados angolano e moçambicano", adiantou a mesma fonte, acrescentando que "os dois canais [SIC Internacional e SIC Notícias] podem continuar a ser vistos na DStv em Angola e Moçambique e na StarTimes em Moçambique".

 

Contactada pela AFP, António Miguel, representante da ZAP, adiantou que os dois canais - SIC Notícias e SIC Internacional "já não fazem parte do pacote distribuído pela Zap devido a uma mudança da grelha de difusão dos programas".

 

O responsável não adiantou mais explicações para esta decisão.

 

A operadora NOS detém 30% da Zap, sendo o restante capital detido pela Sociedade de Investimentos e Participações, da empresária angolana Isabel dos Santos.

 

A Zap iniciou a sua actividade no mercado angolano em Abril de 2010 e é actualmente a maior operadora de TV por satélite em Angola.

A partir de Maio de 2014 a SIC passou a emitir cinco canais em Angola e Moçambique.

(Notícia actualizada às 19:18 com declarações de Francisco Pedro Balsemão)




A sua opinião22
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
SALAZAR 16.03.2017

ANGOLA É UMA VERDADEIRA DEMOCRACIA...

Anónimo 16.03.2017

Está espelhado, é o princípio do fim.Esperemos que não acabe com levantamento popular como aconteceu em Kinshasa há uns bons anos.A verdade ofende.Para se fazer inimigos basta dizer o que se pensa ou expor as verdades. A fuga de capital de AO é feita pelos próprios angolanos não pelos estrangeiros?.

Anónimo 15.03.2017

"Para criar inimigos não é necessário declarar guerra, basta dizer o que pensa "

Anónimo 15.03.2017

perguntem-lhe onde ela foi buscar o dinheiro para fazer estes investimentos.
Foi tudo gamado ao desgracado povo Angolano

ver mais comentários
pub