Banca & Finanças Oposição à venda do Novo Banco ganha adeptos
Assinatura Digital. Negócios Primeiro Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE

Oposição à venda do Novo Banco ganha adeptos

Desistir da venda do Novo Banco começou por ser um reduto da esquerda. Mais de dois anos depois do início do processo, Governo ganha apoios à direita para assumir outros cenários.
Oposição à venda do Novo Banco ganha adeptos
Bloomberg

A oposição à venda do Novo Banco está a ganhar apoiantes, que até poderiam ser vistos como improváveis. Esta posição começou por ser um reduto da esquerda, mas à medida que o processo

Assinatura Digital. Negócios Primeiro
Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE
Análise, informação independente e rigorosa.
Para saber o que se passa em Portugal e no mundo,
nas empresas, nos mercados e na economia.
  • Inclui acesso ao ePaper, a versão do Negócios tal como é impresso em papel. Veja aqui.
  • Acesso ilimitado a todo o site negocios.pt
  • Acesso ilimitado via apps iPad, iPhone, Android e Windows
Saiba mais



A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 06.01.2017

A este desgoverno só lhe falta vender ao desbarato o que eles tem ao funda das costas. Mas mesmo ao desbarato ninguem o quer. E ainda mais ; este banco, o cacau é dos acionistas que ficaram sem a massa. (Roubada pelo R.salgado)

Anónimo 06.01.2017

Querem outro BPN

JCG 06.01.2017

Visão estreita, muito estreita, de gente (governo) técnicamente mediocre e mal preparada para as funções em que está investida:
Não é só o problema do impacto nas contas públicas (como os bandos de papagaios em coro vão regurgitando – é uma coisa espantosa a quantidade de papagaios comentadores a dizerem todos as mesmas coisas sem uma molécula de qualquer acrescento);
São também os problemas dos impactos na economia (na atividade económica e, neste caso, sobressai, positivamente, Riciardi a apontar a questão do financimento das PME’s) e, também, (e isto é de grande importância) o impacto na estabilidade do sector bancário, através de impactos desestabilizadores na concorrência originados por uma vantagem ilegítima dada a um novo operador e a contraparte do prejuizo da operação nas contas dos bancos que já estão fragilizados. Aliás, acho estranho (só incompetência o justifica) a não reação das gestões dos outros bancos a este modelo absurdo de levar com a porcaria de terceiros.

Luis 06.01.2017

Como muitas empresas, o BES deveria ter falido. Ninguém socorreu as milhares de empresas que faliram com o buraco do governo Sócrates, e que levaram o desemprego até aos 17%. O BES também deveria ter falido. Custou 5 mil milhões na altura, e vai aumentar com os lesados e garantias aos compradores.

ver mais comentários
Notícias só para Assinantes
Exclusivos, análise, informação independente e credível. Para saber o que se passa em Portugal e no mundo, nas empresas, nos mercados e na economia. Inclui acesso à versão ePaper.
Mais uma forma de ler as histórias
da edição impressa do Negócios.
Se ainda não é Assinante Saiba mais
pub
pub
pub
pub