Banca & Finanças Orey com lucros de 70 mil euros nos primeiros nove meses

Orey com lucros de 70 mil euros nos primeiros nove meses

Depois de no final do primeiro semestre ter passado de prejuízos a lucros, a cotada manteve a toada positiva tendo culminado os primeiros nove meses deste ano com um resultado líquido positivo de 70 mil euros.
Orey com lucros de 70 mil euros nos primeiros nove meses
Miguel Baltazar
David Santiago 16 de novembro de 2017 às 23:53

A Sociedade Comercial Orey fechou o período compreendido entre Janeiro e Setembro de 2017 com um lucro de 70 mil euros, valor que compara com o prejuízo de 2,8 milhões de euros obtido nos primeiros nove meses de 2016.

 

Após ter regressado aos lucros nos primeiros três meses do ano, a Orey refere que os resultados positivos decorrem da "profunda reestruturação feita em 2016".

 

Esta reestruturação estabeleceu como principais objectivos "desalavancar o balanço vendendo activos não core" para reduzir o volume de dívida e respectivo custo, e a "melhoria de resultados operacionais através de uma forte redução de custos" e "crescimento das receitas operacionais".

 

Contudo, contrariamente ao verificado no final do primeiro semestre, nem todos os indicadores operacionais melhoraram nos primeiros nove meses comparativamente com o período homólogo.

 

As receitas operacionais caíram 2,1% para 56,46 milhões de euros, enquanto os custos operacionais desceram 11% para 13,73 milhões de euros. Assim, o EBITDA operacional aumentou mais de quatro vezes, passando de 1,14 milhões de euros para 4,84 milhões de euros.  

 

Já a dívida financeira recuou 3%, caindo de 63,95 milhões de euros para 62,03 milhões de euros até Setembro de 2017.

 

No braço financeiro da holding, os activos sob gestão e custódia da Orey Financial ascenderam a 143,17 milhões de euros, o que configura um aumento de 2,2% face aos primeiros nove meses do ano passado.

E no que concerne aos activos industriais do grupo, a Orey destaca a "recuperação das receitas das actividades de logística e de suporte à navegação em Portugal, Espanha e em Angola, com o correspondente crescimento da margem bruta e dos resultados gerados por estes sub-grupos".




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub