Desporto Os números da final entre os velhos conhecidos Real Madrid e Juventus

Os números da final entre os velhos conhecidos Real Madrid e Juventus

A final da Liga dos Campeões deste sábado, em Cardiff, coloca frente a frente o Real Madrid e a Juventus, que se defrontam pela 19.ª vez em competições oficiais. O Real pode tornar-se na primeira equipa a conquistar a Champions em anos consecutivos e a Juve aspira regressar ao trono do futebol europeu 19 anos depois.
Os números da final entre os velhos conhecidos Real Madrid e Juventus
Ronaldo ou Buffon, quem vai ganhar?
David Santiago 03 de junho de 2017 às 11:00

São muitos e para todos os gostos os números que enquadram a final da Liga dos Campeões da UEFA, que decorre este sábado, 3 de Junho, em Cardiff. Aqui vai já a primeira curiosidade, o País de Gales recebe pela primeira vez a final da principal prova europeia de clubes.

 

O jogo será disputado entre o Real Madrid e a Juventus, que se defrontam pela 19.ª vez em competições oficiais, um número só superado, na Europa, pelos 24 encontros já realizados também entre merengues e Bayern de Munique. E o equilíbrio é total, com oito vitórias para cada lado e dois empates.

 

Os merengues vão jogar a 15.ª final da Liga dos Campeões/Taça dos Campeões e os "bianconeri" vão disputar a final da prova pela oitava vez (perderam as últimas quatro finais disputadas). Os dois clubes defrontaram-se na final da Champions, em 1998, num jogo que terminou com a vitória do Real graças ao golo solitário de Mijatovic. Sendo que o Real segue num registo muito positivo, já que irá jogar a terceira final em quatro anos, tantas finais quantas as alcançadas pelo Real Madrid nas anteriores 22 participações na prova.

 

A "Vechia Signora" pode fazer história se conquistar a prova que lhe escapa há 21 anos, tornando-se no nono clube a vencer também, no mesmo ano, o respectivo campeonato nacional e a taça do país. Pode também vencer a Liga dos Campeões com um percurso imaculado, já que não sofreu qualquer derrota até chegar a Cardiff.

A equipa treinada por Massimiliano Allegri chega
 também à final de Gales com apenas três golos sofridos em 12 jogos, um registo que apenas fica atrás do alcançado pelo Arsenal em 2005-2006. Já a equipa orientada por Zinédine Zidane marcou em todos os 12 jogos disputados (é o melhor ataque da prova com 32 golos), contudo só por uma vez, num dos jogos das meias-finais contra o Atlético de Madrid, manteve as redes invioladas. 

 

A última equipa a levantar esta taça sem derrotas na prova foi, em 2008, o Manchester United, equipa onde pontificava o português Cristiano Ronaldo. CR7, que chega a esta final com o recorde de 104 golos na competição, pode conquistar em Gales a quarta Liga dos Campeões, a terceira pelo Real Madrid.

Cristiano Ronaldo e Sergio Ramos são dois dos cinco jogadores que já conseguiram o feito de marcar em diferentes finais da prova rainha. Outra curiosidade prende-se com o facto de Ronaldo ter vencido o seu primeiro troféu, aos 19 anos de idade, em Cardiff, no Principality Stadium, numa final da taça de Inglaterra, estádio onde o avançado português marcou quatro golos em três jogos disputados, sempre com as cores do Manchester United. 

Também o Real Madrid pode fazer história, tornando-se na primeira equipa a vencer duas Ligas dos Campeões (que em 1992-93 substituiu a antiga Taça dos Clubes Campeões Europeu) de forma consecutiva, competição em que soma já 499 golos, podendo assim assinalar outro marco ao atingir/superar os 500 golos. Com 11 Ligas dos Campeões/Taças dos Campeões, a equipa espanhola é com larga vantagem o clube com mais vitórias na prova.

 

Também o mítico Gianluigi Buffon pode assinalar outra importante etapa na já longa carreira. O guarda-redes italiano pode vencer pela primeira vez a Liga dos Campeões, o que a acontecer fará do jogador com 39 anos e 126 dias o mais velho de sempre a erguer a mais pretendida taça. Ronaldo e Buffon surgem entre os favoritos à conquista da Bola de Ouro, prémio que consagra o melhor jogador do mundo para a FIFA, o que faz desta final ainda mais aliciante porque poderá contribuir para perceber quem será o melhor em 2017.

 

História atribui favoritismo ao Real… e também à Juve

 

Se é certo que até hoje nenhuma equipa venceu duas ligas dos campeões seguidas – a última equipa a vencer duas finais consecutivas (no caso, Taça dos Campeões) foi o AC Milan de Arrigo Sacchi, –, não é menos verdade que desde a criação da Champions o Real nunca perdeu nenhuma final, tendo vencido as cinco que disputou. A última final perdida pelos merengues foi na Taça dos Campeões Europeus em 1981, contra o Liverpool.  

 

Pelo seu lado, os "bianconeri" detêm um recorde que certamente preferiram não deter: é a equipa com mais finais da Champions perdidas (6, mais uma do que as 5 perdidas pelo Benfica).

 

Porém há dados favoráveis à Juve. Isto porque as duas únicas vezes que venceu a principal competição da UEFA (em 1985 contra o Liverpool e em 1996 contra o Ajax), fê-lo contra o campeão europeu em título, o que tendo em conta que são os merengues os vencedores da Liga dos Campeões do ano passado, reforça as esperanças do clube de Turim.

 

Por outro lado, a Juventus conta no plantel com uma espécie de jogador-talismã. O brasileiro Dani Alves venceu as três finais disputadas (2009, 2011 e 2015) com as cores do Barcelona, a última das quais contra a sua actual equipa.

 

Ainda no que diz respeito a estatísticas individuais, verifica-se que os únicos três futebolistas que marcaram um "hat-trick" num jogo das meias-finais da Liga dos Campeões – Del Piero em 1998, Olic em 2010 e Lewandowski em 2013 – acabaram por ser derrotados no jogo decisivo. Cristiano Ronaldo é o quarto jogador da história a firmar três golos num jogo das meias-finais, resta saber se será o quarto derrotado, ou não.

 

Há ainda outra "regra" favorável ao clube transalpino. Desde que o Milan venceu a competição de 1989, a cada sete anos há uma equipa italiana a conquistar o troféu. O Inter de Milão, então orientado por José Mourinho, foi o último clube italiano a vencer a prova, precisamente em 2010, o que faz com que este ano passem os tais sete anos.

 

Por fim, este sábado o Real Madrid vai entrar em campo vestido como equipamento alternativo (roxo), depois de ter vencido as duas últimas finais, ambas contra o rival Atlético de Madrid, equipado com a tradicional camisola branca. Ainda assim, a última vez que o Real disputou uma final da Liga dos Campeões com a camisola secundária (preta, em 2000 contra o Valência) venceu o jogo.

 

Em termos de milhões arrecadados, a Juventus segue à frente tendo já amealhado 39,7 milhões de euros na edição 2016-2017 da Liga dos Campeões. O Real Madrid meteu nos cofres 38,7 milhões de euros. O vencedor no jogo de hoje arrecadará mais 15,5 milhões de euros, enquanto o derrotado amealhará mais 11 milhões. 




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Oráculo da verdade 03.06.2017

Se querem apostar apostem agora a Juventus é campeã europeia são 19:09 e eu vi nas entranhas da rata de uma velha

pub
pub
pub
pub