Banca & Finanças Pais do Amaral chega a acordo com bancos

Pais do Amaral chega a acordo com bancos

A dívida de 165 milhões de euros da Ahs Investimentos, sociedade de Pais do Amaral, já pode ser renegociada, com a homologação do plano de recuperação. O Novo Banco é o principal credor.
Pais do Amaral chega a acordo com bancos
Miguel Baltazar/Negócios
Diogo Cavaleiro 25 de outubro de 2017 às 22:30
O empresário Miguel Pais do Amaral chegou a acordo com os seus credores para renegociar os empréstimos bancários de uma das suas empresas. O veículo Ahs Investimentos tem uma dívida que ascende a 165 milhões de euros, em grande medida devido a instituições bancárias.

Os credores, em que o Novo Banco é o principal destaque, logo seguido do Banco Comercial Português, deram o sim ao plano de recuperação interposto no âmbito do Processo Especial de Revitalização (PER) pela Ahs Investimentos.

Posteriormente, o Tribunal Judicial da Comarca de Lisboa proferiu, a 20 de Outubro, "o despacho de homologação relativo ao acordo entre a empresa e os credores", de acordo com o disposto no portal Citius.

Pouco depois de pedido o PER, em Junho passado, o Expresso noticiou que este processo estava relacionado com uma operação de reestruturação do passivo bancário. Pais do Amaral não quis comentar, mas, ao que o Negócios conseguiu apurar junto de fonte próxima do empresário, o objectivo era um alongamento dos prazos dos empréstimos, que não envolvesse o perdão de dívida.

Homologado pelo tribunal após o acordo da maioria dos credores, a sociedade não antecipa a apresentação de recursos que possam atrasar o processo que visa a renegociação dos 165 milhões de euros. Não é claro que entidades votaram a favor do plano, mas todos os credores terão de aceitá-lo.

Em Junho deste ano, a dívida total da "holding" era de 165 milhões de euros, de acordo com a lista provisória de credores aprovada pela administradora judicial Graça Cunha.

O Novo Banco reclama 19,7 milhões de euros da dívida, mais dois milhões do que os reconhecidos ao BCP. Montepio, Crédito Agrícola, BIC e Caixa Geral de Depósitos tinham, cada um, créditos a receber superiores a 10 milhões de euros. Ao todo, são 55 credores com dívidas reclamadas.

A Ahs Investimentos é uma das sociedades gestoras de participações sociais que pertencem ao The Quifel Group, fundado e gerido por Miguel Pais do Amaral, a par de outras "sub-holdings": Almanac, Quifel Natural Resources e Partgris.

A Ahs é dona da Partbleu SGPS SA, accionista minoritária da Novabase, e detém, igualmente, uma posição na Reditus. A Quinta das Pancas, na área dos vinhos, também consta desta listagem de participações do veículo que gere posições noutras sociedades.

Nos últimos dois anos, a Ahs apresentou vendas de zero euros (já que, na prática, gere apenas as participações noutras empresas), obtendo em ambos os exercícios resultados negativos. Em 2016, foram registados 2,7 milhões de euros de prejuízos na sociedade constituída em 2004, ainda assim uma melhoria face ao ano anterior. 

Segundo garantiu a mesma fonte próxima do empresário ao Negócios, não foi apresentado nenhum plano de recuperação por parte de qualquer empresa do grupo controlado por Pais do Amaral.



pub