Construção Panamá quer executar 300 milhões de euros à Sacyr

Panamá quer executar 300 milhões de euros à Sacyr

A Autoridade do Canal do Panamá avançou com um processo para executar 300 milhões de euros ao consórcio responsável pela ampliação do canal liderado pela espanhola Sacyr.
Panamá quer executar 300 milhões de euros à Sacyr
Negócios 23 de janeiro de 2017 às 11:52

A Autoridade do Canal do Panamá (ACP) quer avançar com a execução de 300 milhões de euros ao consórcio de construtores responsável pela ampliação do Canal, segundo o El Confidencial.

De acordo com o mesmo site espanhol, a entidade considera que a espanhola Sacyr e os restantes parceiros do consórcio não apresentaram as garantias necessárias para garantir o pagamento do adiantamento concedido antes do arranque das obras no valor de de 320 milhões de dólares (300 milhões de euros).

Fontes oficiais da ACP, citadas pelo El Confidencial, explicam que a Sacyr não cumpriu a obrigação de cancelar antes de 31 de Dezembro o pagamento que estava acordado e que exigia garantias. Por isso, a 6 de Janeiro avançou com um pedido num tribunal em Londres para avançar com a execução destas obrigações, acrescenta o site espanhol.

Em 2014 a ACP tinha acordado adiantar 320 milhões de dólares ao consórcio liderado pela Sacyr para acelerar a conclusão das obras, montante que deveria ser reembolsado até 31 de Dezembro de 2016.


A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub