Tecnologias Panasonic investe em unidade de produção fotovoltaica da Tesla

Panasonic investe em unidade de produção fotovoltaica da Tesla

A empresa tecnológica japonesa avançou com um investimento de mais de 256 milhões de dólares (245 milhões de euros) numa fábrica de equipamentos fotovoltiacos norte-americana da Tesla. O objectivo passa pela produção de módulos fotovoltaicos.
Panasonic investe em unidade de produção fotovoltaica da Tesla
Reuters
Negócios 27 de Dezembro de 2016 às 11:39

A tecnológica japonesa começará por fabricar conjuntamente com a Tesla na unidade de Buffalo, Nova Iorque, células e módulos fotovoltaicos para equipar telhados, segundo comunicado divulgado pela Panasonic esta terça-feira, 27 de Dezembro. Quando a produção de telhados com tecnologia fotovoltaica começar, ambas as empresas continuarão a trabalhar em parceria.

 

Os primeiros módulos serão fabricados no Verão de 2017. Em 2019, avança o mesmo documento, espera-se que a produção atinja um gigawatt em módulos.

 

A Panasonic espera criar "milhares de novos postos de trabalho nos próximos anos" na unidade de Buffalo, com a parceria com a Tesla. Na mesma unidade fabril, a empresa norte-americana reafirma a sua parceria com a SolarCity e a consequente criação de mais de 1.400 postos de trabalho. O comunicado avança ainda que a Panasonic trabalhará com a Solarcity no desenvolvimento de tecnologia fotovoltaica de nova geração na unidade de Fremont, Califórnia.

 

O contracto de investimento prevê que a Panasonic cubra capitais de custo na unidade de Buffalo. A Tesla fará um compromisso de compra a longo prazo com a empresa japonesa.

 

Segundo a Reuters, a Panasonic tem vindo a fornecer baterias à Tesla de forma exclusiva. Em causa está o fabrico do Model 3, o primeiro automóvel do fabricante norte-americano a ser fabricado em massa. A mesma publicação avança que o fornecimento exclusivo de baterias também se estende aos modelos S e X.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub