Web Summit Para a Uber, o céu já não é o limite

Para a Uber, o céu já não é o limite

Os "carros voadores" da plataforma de transporte deverão chegar aos céus de Los Angeles em 2020. Não são os tradicionais helicópteros mas sim um equipamento que a Uber está a desenvolver em parceria com a NASA.
A carregar o vídeo ...
Wilson Ledo 08 de novembro de 2017 às 11:34

Jeff Holden, responsável de produto da Uber, não gosta do termo "carros voadores" mas usou-o várias vezes ao longo da sua apresentação no Web Summit esta quarta-feira, 8 de Novembro.

 

Porque, de facto, não são carros aquilo que a Uber quer ter nos céus de Los Angeles em 2020. É um veículo próprio, trabalhado em conjunto com especialistas que fizeram carreira na agência aero-espacial norte-americana NASA.

 

São uma espécie de helicópteros mas evitam parte dos custos e o barulho característico destes últimos, considerado um problema para a população. Para os céus, a Uber cultiva a sua intenção de reduzir emissões e apresenta um transporte eléctrico. "Não será fácil", admitiu.

 

Com descolagem e aterragem na vertical, o que permite a sua instalação no topo de prédios, há já estimativas para a duração da bateria. Uma distância entre Lisboa e Cascais, por exemplo, significaria um terço de bateria gasta, exemplificou.

 

Nesta passagem dos "carros voadores" dos estúdios de cinema para os céus de Los Angeles, a Uber não parte sozinha, com a plataforma norte-americana a estabelecer parcerias com uma mão cheia de empresas, como a fabricante de aviões Embraer.

 

"A Uber não construiria isto se não fosse para todos", apontou. Se ter a viagem aérea mais barata que conduzir o próprio carro é um objectivo, o responsável prefere ser ponderado para os primeiros tempos: aí, a intenção é ter a UberAir ao mesmo preço que a UberPool, a modalidade partilhada nos carros.

 

É mais uma experiência que a Uber prepara na sua caminhada para "revolucionar" a mobilidade nas cidades, estando também a testar veículos de condução autónoma em Pittsburgh.

 

"Vamos baixar tanto o preço que vai ser mais barato do que conduzir o próprio carro. É o princípio do fim do carro próprio", posicionou Jeff Holden (na foto em baixo). Até porque, estima-se, em 2025 mais de seis mil milhões de pessoas vão viver em áreas urbanas.

 

A Uber, considerada a start-up mais valiosa do mundo, está presente em 77 países e mais de 600 cidades, realizando cerca de 10 milhões de viagens por dia. A plataforma está também em Portugal - em Lisboa, Porto e Algarve -, aguardando ainda enquadramento legal para a sua actividade.




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado alberto9 Há 1 semana

1/3 da bateria de Lisboa a Cascais, vai longe!!!

comentários mais recentes
Anónimo Há 1 semana

Tribunal da relação proibiu a actividade da uber em Portugal.

alberto9 Há 1 semana

1/3 da bateria de Lisboa a Cascais, vai longe!!!

pub