Transportes Parlamento quer esclarecimentos sobre expansão da rede do Metro

Parlamento quer esclarecimentos sobre expansão da rede do Metro

O ministro do Ambiente e o presidente da Câmara de Lisboa vão ser ouvidos na comissão parlamentar de Economia sobre o plano de desenvolvimento do Metropolitano da capital.
Parlamento quer esclarecimentos sobre expansão da rede do Metro
Miguel Baltazar
Maria João Babo 17 de maio de 2017 às 13:14
Os deputados da comissão de Economia, Inovação e Obras Públicas aprovaram esta quarta-feira, 17 de Maio, o requerimento apresentado pelo Bloco de Esquerda para a audição do ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, e do presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina, sobre a expansão da rede do Metropolitano de Lisboa.

O Metro de Lisboa apresentou no dia 8 de Maio o plano de desenvolvimento operacional da rede, que inclui o prolongamento a linha da estação do Rato até ao Cais do Sodré, criando uma ligação circular antes de 2022, passando a contar com novas estações na Estrela e em Santos.

Os projectos do Metro passam ainda pelo prolongamento da linha vermelha, de São Sebastião até Campo de Ourique, ainda sem calendário definido por não estar assegurado financiamento.

A estratégia mereceu críticas dos diferentes partidos, à excepção do PS. O PSD considera que com o projecto de expansão previsto o Governo está a "discriminar" as populações de Amadora e Sintra nesta matéria, enquanto o PCP entende que a opção "é tecnicamente errada", "não faz falta" e vai adiar a expansão da rede para a zona ocidental da cidade. O CDS, por seu lado, veio propor 20 novas estações para o Metro.



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub