Banca & Finanças Parte dos clientes reformados da Caixa passa a pagar comissões

Parte dos clientes reformados da Caixa passa a pagar comissões

Parte dos clientes reformados do banco passa a pagar comissão na conta onde recebem a pensão a partir de 1 de Setembro, avança o jornal Público. Caixa garante que o seu nível de comissões está agora "num nível intermédio do mercado português".
Parte dos clientes reformados da Caixa passa a pagar comissões
Miguel Baltazar
Negócios 24 de julho de 2017 às 08:50
A Caixa Geral de Depósitos está a contactar os seus clientes para informá-los sobre as mudanças nas contas de depósito à ordem. A partir de 1 de Setembro centenas de milhares de clientes, que estavam isentos, vão passar a pagar a comissão de manutenção de conta, avança o jornal Público esta segunda-feira, 24 de Julho.

Até agora parte dos clientes reformados e pensionistas estavam isentos. Mas clientes com pensões pequenas ou que recorrem à pré-reforma passam a pagar. Já os clientes com mais de 65 anos e pensão ou reforma inferior a 835,50 euros continuam a não pagar pela conta à ordem.

O banco já comunicou a um milhão de clientes que vão haver alterações nas contas, mas nem todos estes clientes vão sofrer alterações nas comissões, sublinha o Público. O presidente da Caixa, Paulo Macedo, disse em Maio que existem 700 mil contas no banco que não pagam qualquer comissão.

Centenas de milhares de outros clientes com domiciliação de rendimentos ou com património financeiro acima de cinco mil euros vão perder a isenção dessa comissão, ou então passam a ser obrigados a ter cartões de débito e de crédito, sendo obrigados a usar estes cartões pelo menos uma vez por mês, o que na prática implica o pagamento de uma anuidade.

Numa nota de imprensa enviada às redacções esta segunda-feira, o banco público sublinha que "depois deste movimento de ajustamento do preçário, que já  aconteceu em toda a banca a operar em Portugal, a Caixa posiciona o seu nível de comissionamento num nível intermédio do mercado português".


"Quem não puder a mensalidade mais barata que é de 2,5 euros na Conta Caixa S, tem à disposição os Serviços Mínimos Bancários que na Caixa Geral de Depósitos são gratuitos", acrescenta a Caixa na nota de imprensa.

(Notícia actualizada às 9:33 com a nota de imprensa da Caixa Geral de Depósitos)




A sua opinião49
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 3 semanas

saiem uns entram outros PARA TUDO CONTINUAR NA MESMA!

BANDIDAGEM!

comentários mais recentes
Anónimo Há 3 semanas

Resumindo e concluindo, o sector bancário e o sector público de muitas economias está cheio de funcionários que não são lá precisos para o que quer que seja e aquelas têm uma multidão de pensionistas que não descontaram ou produziram para as generosas pensões que recebem. Ponto final.

Anónimo Há 3 semanas

Os acionistas (o povo português) e os clientes da Caixa são como os limões, por muito espremidos que sejam, ainda podem sempre voltar a ser espremidos e dar sempre mais algum sumo.No fundo muitos dos clientes continuam a ser os clientes ideais que eram nos tempos do Salazar: resignados, humildes, dóceis e pouco dispostos ao trabalho e incômodo de emigrarem para outro banco à procura de melhor serviço.Com tais trunfos na manga não serão precisos grandes gestores para levar a Caixa ao caminho dos lucros.Mas atenção , apesar de tudo continuam a ser necessários homens e mulheres honestos para impedir a Caixa de se atolar em prejuízos, e irremediavelmente empurrada para o por alguns tão temido caminho da privatização

Anónimo Há 3 semanas

Porque não cortar nas gorduras da CGD em vez de se atirar aos clientes?O Estado enterrou na CGD uma pipa de massa dos contribuintes para pagar os milhões emprestados sem garantia.Para quando encostar à parede os responsáveis pela gestão danosa da CGD,pois são estes e outros que devem pagar para já.

Comigo acabou Há 3 semanas

Conto ainda esta semana mudar para o Banco CTT

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub