Transportes Passageiros aumentam de forma expressiva nos aviões mas também na ferrovia

Passageiros aumentam de forma expressiva nos aviões mas também na ferrovia

Os dados da actividade de transportes do INE relativos a 2016 revelam um aumento do número de passageiros transportados nos comboios, nos metropolitanos e por via aérea. O transporte de mercadorias por via marítima também subiu.
Passageiros aumentam de forma expressiva nos aviões mas também na ferrovia
Bruno Simões 11 de abril de 2017 às 16:06

O número de passageiros transportados em Portugal por via aérea e ferroviária cresceu no ano passado face a 2015, de acordo com dados do Instituto Nacional de Estatística divulgados esta terça-feira. O aumento mais expressivo ocorreu nas viagens aéreas, que registaram um aumento de 14,3%, que se segue a uma subida de 11% em 2015. No transporte ferroviário, o crescimento de passageiros face a 2015 é de 2,7%, e nos metropolitanos regista-se uma subida de 5,6%.

 

Em 2016, e de acordo com os dados preliminares do INE, foram transportados 45,4 milhões de passageiros de avião com embarque, desembarque ou trânsito em aeroportos nacionais, o que representa uma subida de 14,3% face ao ano anterior. O número de aterragens comerciais nos aeroportos também subiu 12% (foram 187,8 mil) e a carga e correio cresceram 1,9% (para quase 150 mil toneladas).

 

O movimento aeroportuário de transporte de passageiros foi especialmente relevante no quarto e último trimestre de 2016, período em que o número de passageiros cresceu 20,3% em termos homólogos (totalizando 10,6 milhões). Um resultado "notável" e "claramente acima das variações observadas nos trimestres dos últimos anos", constata o INE. Em termos proporcionais, foi no aeroporto de Faro que o número de passageiros mais cresceu (22,9%) no quarto trimestre, seguido de Porto (22,1%) e Lisboa (20%).

 

Quatro em cada cinco voos (80,8% do tráfego regular) corresponderam a voos internacionais, e os operadores portugueses transportaram 35,9% dos passageiros, o que representa uma queda de 2,4 pontos percentuais face a 2015. No ano passado, a ocupação média da oferta de 57,8 milhões de lugares foi de 78,5%, sendo que nos voos internacionais (que disponibilizaram 36,5 milhões de lugares) a ocupação média foi de 80,9%.

 

Ferrovia cresce em passageiros mas recua em mercadoria

 

Também nos comboios se regista um aumento do número de passageiros transportados. De acordo com os dados preliminares do INE, em 2016 o número de passageiros nos comboios cresceu 2,7% face ao ano anterior. No quarto trimestre observou-se um crescimento de 4,1% do número de passageiros (34,5 milhões), a esmagadora maioria dos quais através dos serviços urbanos (30,6 milhões), que cresceram neste período 3,7%. Os 3,9 milhões de passageiros transportados nos serviços interurbanos representam a subida mais expressiva entre os passageiros dos comboios, que avançou 7,1%.

 

As mercadorias transportadas por via férrea diminuíram 6,5% face a 2015. No quatro trimestre o recuo foi de 4,4%, especialmente penalizado pela queda no tráfego nacional, de 8,2% (para 2,1 milhões de toneladas). No tráfego internacional, a subida de 16,5% (para 494 mil toneladas) foi insuficiente para travar a queda neste sector. Em 2015, o transporte de passageiros nos comboios cresceu em termos homólogos 1,7%, e o de mercadorias expandiu 7,9%.

 

Metros aumentam passageiros em 5,6%

 

A ferrovia ligeira – os três sistemas de metropolitano de Lisboa, Porto e Sul do Tejo (Almada e Seixal) – também aumentou o número de passageiros transportados. Face a 2015, a subida foi de 5,6% (já nesse ano se tinha registado uma subida de 4,6% face a 2014). No quarto trimestre, o metro de Lisboa transportou mais 5% de passageiros face ao período homólogo (um total de 41,3 milhões de pessoas). O metro Sul do Tejo expandiu 3,2% (para 3,04 milhões de passageiros) e o metro do Porto cresceu 2,6% para um total de 15,9 milhões de passageiros transportados.

 

As mercadorias nos portos portugueses registaram um aumento na movimentação de 5,1% em 2016 (que sucede a um crescimento de 7,7% em 2015), para um total de 91,3 milhões de toneladas. Os portos de Sines (16,6%) e Ponta Delgada (9,6%) foram os que mais cresceram no movimento anual de mercadorias. Lisboa (-11,1%), Setúbal (-7,9%) e Leixões (-3,4%) viram o movimento cair.

 

O transporte rodoviário de mercadoras registou uma queda de 4,1% em 2016 face ao ano anterior, "em resultado da diminuição do transporte nacional (-6,1%)", explica o INE.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub