Transportes Passageiros disparam nos aeroportos e abrandam no metro. Mercadorias desaceleram

Passageiros disparam nos aeroportos e abrandam no metro. Mercadorias desaceleram

No segundo trimestre do ano, o número de passageiros que viajaram de avião em Portugal cresceu mais de 20%. O ritmo de uso dos metros desacelerou para menos de um terço. Velocidade de crescimento de mercadorias dos portos reduzida a um quinto.
A carregar o vídeo ...
Paulo Zacarias Gomes 21 de setembro de 2017 às 11:13
A actividade turística continua a impulsionar o transporte de passageiros nos aeroportos portugueses, que no segundo trimestre do ano viram o ritmo de crescimento acelerar para 20,6% em relação ao mesmo período de 2016. Uma subida que é a maior pelo menos desde o início de 2011 e, desta forma, superior aos 18,6% de crescimento verificados nos primeiros três meses dos ano e aos 20,3% do último trimestre do ano passado.

Segundo os números do Instituto Nacional de Estatística (INE) conhecidos esta quinta-feira, 21 de Setembro, entre Abril e Junho foram transportados 14,5 milhões de passageiros nas infra-estruturas aeronáuticas portuguesas, entre embarques, desembarques e trânsitos directos. O maior crescimento relativo no número de passageiros ocorreu em Ponta Delgada, mas o maior aeroporto do país - Lisboa - cresceu acima da média nacional: 23,1%, sendo responsável por quase metade do tráfego nacional.

Já o ritmo de uso dos metros desacelerou para menos de um terço no espaço de um trimestre. Juntos, os metros de Lisboa, Porto e Sul do Tejo transportaram 59,7 milhões de pessoas no segundo trimestre, um aumento de 3,7% em relação ao período homólogo. Um abrandamento em relação aos 12,4% de subida registada nos mesmos meios de transporte entre Janeiro e Março deste ano. A desaceleração foi comum aos metros das três cidades, passando no caso de Lisboa de um aumento de 14,4% no primeiro trimestre para uma subida de 4,5% no segundo.

O transporte ferroviário pesado registou, por seu turno, uma ligeira aceleração face ao primeiro trimestre (6,6% face a 6,2%), com 36 milhões de passageiros transportados. O número de passageiros transportados em ferrovia em trajecto internacional passou de 49 mil no primeiro trimestre para 73 mil no segundo, uma subida de quase 50% em cadeia.

Mercadoria abranda nas estradas e nos portos, trava na ferrovia

No que diz respeito às mercadorias, o período de Abril a Junho foi de abrandamento na velocidade de crescimento, que ficou reduzido a um quinto em relação à subida do primeiro trimestre. Entre os dois primeiros trimestres, o total de mercadorias movimentadas caiu de 23,62 milhões de toneladas para 23,1 milhões de toneladas, passando de um crescimento homólogo de 11,1% de Janeiro a Março para apenas 2% de Abril a Junho.

Também nas mercadorias transportadas por estrada houve um abrandamento no ritmo de crescimento homólogo, de 11,6% para 4,3% entre os dois trimestres, sendo transportadas 41,91 milhões de toneladas transportadas em camiões. No transporte em ferrovia verificou-se mesmo uma queda de 5,7% face ao mesmo período de 2016 (contra subida de 0,6% no primeiro trimestre) para 2,58 milhões de toneladas.

Este comportamento coincide com uma subida de 7,5% nas exportações de bens e de 13,3% nas importações no segundo trimestre, face ao período homólogo. No primeiro trimestre os aumentos em termos anuais tinham sido de 12,1% e 14,5% respectivamente.

(Notícia actualizada às 11:45 com mais informação)



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub