Aviação Passageiros portugueses fizeram 8.000 reclamações em 2016

Passageiros portugueses fizeram 8.000 reclamações em 2016

Atrasos e problemas com bagagem são os principais motivos que levaram os passageiros portugueses a queixarem-se. A ANAC diz que a demora das companhias aéreas impede uma resposta mais eficaz.
Passageiros portugueses fizeram 8.000 reclamações em 2016
Bruno Simão
Wilson Ledo 11 de maio de 2017 às 13:48

A Autoridade Nacional da Aviação Civil (ANAC) registou 8.032 reclamações de passageiros. O número representa uma subida de 9,2% face ao ano anterior, quando se assinalaram 7.355 queixas.

Nove em cada 10 reclamações foram feitas através de Livro de Reclamações, mostra o Relatório de Actividades, Gestão e Contas do regulador relativo a 2016.


De forma isolada, o atraso dos voos é o motivo mais frequente, com 2.374 queixas ou 30% do total. Seguem-se problemas com a bagagem e cancelamentos com, respectivamente, 1.359 e 1.214 reclamações.


O documento do regulador dá destaque ainda às queixas relacionadas com passageiros de mobilidade reduzida, dando conta que são apenas 0,6%.


Ao longo de 2016, a ANAC conclui 6.409 processos de reclamações. Desse total, 4.972 eram relativos a queixas desse ano. Os restantes deverão ser fechados já em 2017.


"A dependência de respostas por parte das transportadoras aéreas, muitas vezes demoradas, afecta necessariamente a capacidade de resposta com vista à conclusão de todos os processos pendentes", lamenta.


Também esta quinta-feira, 11 de Maio, a ANAC informou que vai abrir um processo de averiguações sobre os problemas no abastecimento de aviões no aeroporto de Lisboa, que levaram ao cancelamento de vários voos.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub