Research Passagem de posição no BCP para fundo é "imaterial" mas traz sentimento positivo para EDP

Passagem de posição no BCP para fundo é "imaterial" mas traz sentimento positivo para EDP

A EDP transferiu a posição de 1,53% no BCP para financiar o fundo de pensões. A operação não tem impacto no banco mas carrega uma percepção "positiva" para a eléctrica. Já os custos com a tarifa social não trazem preocupação para a EDP, segundo o BPI Equity Research.
Passagem de posição no BCP para fundo é "imaterial" mas traz sentimento positivo para EDP
Diogo Cavaleiro 04 de janeiro de 2017 às 09:21

A EDP passou a posição de 1,56% no Banco Comercial Português (BCP) para o seu fundo de pensões. O impacto da operação é reduzido mas há um sentimento positivo por trás, segundo o BPI Equity Research.

 

Na habitual nota de comentário desta quarta-feira, 4 de Janeiro, a unidade de investimento do BPI refere que, para o BCP, a transferência é "neutral" e para a EDP "imaterial".

 

"Dito isto, consideramos que é positiva a percepção de a EDP já não ter no seu balanço uma participação num banco, mesmo que a posição seja residual em relação à dimensão da EDP", comenta o analista Jorge Guimarães, na nota a que o Negócios teve acesso.

 

A EDP, histórica accionista do banco liderado por Nuno Amado, tinha uma posição directa de 1,53% no BCP que adquiriu à EDP Imobiliária e Participações e que transferiu logo para o fundo de pensões, retirando-a do seu balanço. Com a operação, o fundo de pensões da eléctrica comandada por António Mexia, que já tinha uma posição no banco, passou a deter 2,11% do BCP.

 

"Nos primeiros nove meses, a EDP já tinha constituído uma imparidade de 31 milhões de euros para a participação no BCP. Assim a operação não deve ter nenhum impacto relevante nos resultados do quarto trimestre", continua Jorge Guimarães.

 
Tarifa social sem impacto


Na nota do BPI Equity Research, um outro aspecto é comentado: o custo com a tarifa social para a eléctrica presidida por António Mexia. O Público avança, com base em contas apresentadas pela Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos, que o custo para o grupo será de cerca de 74 milhões com o financiamento do desconto aplicado em tarifas para famílias com menos posses. A unidade de investimento do BPI não vê aí qualquer perigo.

 

"É neutral já que o valor está perfeitamente em linha com as expectativas. A nossa leitura aponta para um custo de 59 milhões de euros para a EDP mas a conclusão final é a mesma, estando completamente alinhada com as expectativas", repete. 

Nota: A notícia não dispensa a consulta da nota de "research" emitida pela casa de investimento, que poderá ser pedida junto da mesma. O Negócios alerta para a possibilidade de existirem conflitos de interesse nalguns bancos de investimento em relação à cotada analisada, como participações no seu capital. Para tomar decisões de investimento deverá consultar a nota de "research" na íntegra e informar-se junto do seu intermediário financeiro.




A sua opinião6
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo 04.01.2017

N acham que é incompetência a mais??? Nem explorando os consumidores tugas (retirando competividade á economia)com uma das energias elétricas mais caras na Europa vai lá???
-Os gestores de topo deste miseravel Pais são os mais bem pagos na Europa e tb in loco os mais incompetentes, em especial, aqueles que vêm de qq carreira politica: Está à vista, é só ver os exemplos todos os dias.

comentários mais recentes
Anónimo 04.01.2017

PARA A EDP, É POSITIVO. INFELIZMENTE PARA O BCP TUDO, MAS MESMO TUDO É NEGATIVO QUER SEJAM BOAS OU MÁS NOTICIAS. MAS TAMBEM COM UM» BON A RIEN« INUTIL COMO O NUNO MAMADO,NÃO SE PODE ESPERAR OUTRA COISA, SENÃO O DESALENTO

Anónimo 04.01.2017

COISA QUE MAIS ME ENTRISTECE É VER AS AÇOES DO BCP NOS TREZ DIGITOS, SEMPRE PENSEI COM O MAMADO Á FRENTE DO BCP AS ACÇOES VOLTARIAM AOS 0.015 MAS AFINAL ENGANEI-ME,MAS ATENÇAO JA PERDERAM 30Centimos EM POUCO TEMPO,TIREM-LHE O CHAPEU A ESTE BOM A RIEN .BPI NEM FO...DE NEM SAÍ DE CIMA

Anónimo 04.01.2017

N acham que é incompetência a mais??? Nem explorando os consumidores tugas (retirando competividade á economia)com uma das energias elétricas mais caras na Europa vai lá???
-Os gestores de topo deste miseravel Pais são os mais bem pagos na Europa e tb in loco os mais incompetentes, em especial, aqueles que vêm de qq carreira politica: Está à vista, é só ver os exemplos todos os dias.

Toni de fafe 04.01.2017

O pai do árbitro jorge ferreira de fafe, foge ao fisco lá na taberna dele. As faturas falsas......pois é

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub