Banca & Finanças Paulo Macedo faz um ano de Caixa sob protestos
Assinatura Digital. Negócios Primeiro Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE

Paulo Macedo faz um ano de Caixa sob protestos

Trabalhadores, comunidades internacionais e partidos têm colocado pressão sobre a liderança da CGD, assumida por Paulo Macedo. O primeiro aniversário é celebrado com uma concentração de funcionários. Como pano de fundo, as investigações judiciais. E o passado.
Paulo Macedo faz um ano de Caixa sob protestos
Miguel Baltazar
Diogo Cavaleiro 31 de janeiro de 2018 às 23:10

Fechou balcões, mas teve de renegociar contrapartidas. Aumentou comissões, mas gerou contestação partidária. Reviu a presença internacional, mas recebeu críticas das comunidades. Contratou colegas para )

Assinatura Digital. Negócios Primeiro
Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE
Análise, informação independente e rigorosa.
Para saber o que se passa em Portugal e no mundo,
nas empresas, nos mercados e na economia.
  • Inclui acesso ao ePaper, a versão do Negócios tal como é impresso em papel. Veja aqui.
  • Acesso ilimitado a todo o site negocios.pt
  • Acesso ilimitado via apps iPad, iPhone, Android e Windows
Saiba mais



A sua opinião11
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Renascer da Fénix: o que se espera de Paulo Macedo Há 3 semanas

Tal como a Fénix renasceu das cinzas,
espera-se que a Caixa (CGD) possa breve recuperar:
além do papel simbólico de Referência que reivindica e sempre teve,
o papel real que até 2015 os Portugueses lhe atribuíam:
ser a marca bancária de maior prestígio em Portugal.
Em ordem a tal, é óbvio que a CGD terá de alterar o rumo,
e é responsabilidade do homem do leme pôr a CGD no rumo certo.
Teria sido infactível fazê-lo em período curto para uma grande nau “dar a volta”,
mas quer acreditar-se que não o seja, ao nível do horizonte de um mandato.
E é isso que se espera de Macedo, o homem do BCP ao leme da CGD.
Entende-se que tenha primeiro corrido a colmatar rombos na nau,
onde a mesma metia mais água.
Mas agora que tal terá sido feito,
espera-se que a grande nau vire ao vento,
e navegue para capitalizar o que tem de mais valioso:
Uma relação de confiança histórica com mais de 60% dos Portugueses;
Um quadro de pessoal de potencialidades ímpares.

comentários mais recentes
Anónimo Há 3 semanas

Fará à CGD o mesmo que fez no BCP, aquele banco que foi liquidado e entregue aos chineses, lembram-se? Chamaram-lhe aumento de capital.
Eu já fui cliente da CGD, mas à cerca de 6 meses saí, e hoje sou tratado dignamente e não tenho de pagar para ter uma conta à ordem.

VERGONHA SOBRE ANTÓNIO COSTA ! Há 3 semanas

ANTÓNIO COSTA, quando questionado, na AR, sobre este segundo roubo vergonhoso aos pensionistas, pela CGD, afirma q não é assunto em q ele se deva meter, não obstante ser o representante do acionista único, que é o ESTADO !
Ou seja, ANTÓNIO COSTA, sobre este assunto, lava as mãos.

PORREIRO !

COSTA DIZ Q O 2º. ROUBO AOS PENSIONISTAS Ñ É COM E Há 3 semanas

Estou a ouvir o debate na AR e fiquei estupefacto pela resposta do PM - melhor, pelo seu lavar de mãos -, qd foi questionado pela vergonha desta 2ª. arremetida do roubo de PAULO MACEDO sobre os pobres dos reformados, em q os PM respondeu q, em representação do acionista único, não tem nada a dizer

Para este porco as pessoas são folhas de papel A4 Há 3 semanas

Este pulha cobardolas vem rotulado de um gestor de êxito.
Roubando, desta maneira, aos mais frágeis, também eu seria um gestor de topo.

ver mais comentários
Notícias só para Assinantes
Exclusivos, análise, informação independente e credível. Para saber o que se passa em Portugal e no mundo, nas empresas, nos mercados e na economia. Inclui acesso à versão ePaper.
Mais uma forma de ler as histórias
da edição impressa do Negócios.
Se ainda não é Assinante Saiba mais
Saber mais e Alertas
pub