Transportes Pedro Marques: Obras para o novo aeroporto de Lisboa vão estar no terreno em 2019

Pedro Marques: Obras para o novo aeroporto de Lisboa vão estar no terreno em 2019

O ministro do Planeamento e Infraestruturas, Pedro Marques, fez esta revelação na Conversa Capital, um espaço de entrevista conjunto do Negócios e da Antena 1. O processo, adiantou, é irreversível.
A carregar o vídeo ...
Celso Filipe 17 de dezembro de 2016 às 21:00

O ministro do Planeamento e Infraestruturas, Pedro Marques, afirma que as obras do novo aeroporto de Lisboa poderão estar no terreno em 2019. "É irreversível que o aeroporto Humberto Delgado (Portela) precisa de um acrescento de capacidade, isto para nós é evidente", sublinha o governante.

 

Na Conversa Capital, um espaço de entrevista conjunta do Negócios e da Antena 1, Pedro Marques revelou que já foram iniciadas negociações com a ANA, concessionária do aeroporto Humberto Delgado destinadas a antecipar "o calendário de decisão e de implementação de uma nova solução aeroportuária" para Lisboa.

 

Na prática, isto significa que a ANA irá começar já em 2017 os estudos para a construção de um novo aeroporto, antecipando em um ano o calendário que estava previsto no contrato de concessão.

 

A carregar o vídeo ...

Em cima da mesa estão duas alternativas, recuperar o projecto de Alcochete ou a fazer a reconversão da base aérea do Montijo, alternativa que mais agrada à ANA. "A diferença de custos entre as opções é demasiado grande para não considerarmos tão seriamente como estamos a fazer a opção de uma pista complementar e em particular, neste momento e com mais intensidade, o Montijo", sublinha o ministro do Planeamento e Infraestruturas.

 

Esta Conversa Capital com Pedro Marques pode ser lida, na íntegra, na edição de segunda-feira do Negócios.

 


A sua opinião47
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo 17.12.2016

Não nos tínhamos já despistado ao percorrer a estrada das grandes obras ... apertem o cinto

comentários mais recentes
H Melo 19.12.2016

Acho piada ver gente a comentar que o aeroporto devia ser aqui e acolá, por ser zona mais turística, ou por haver mais gente ente X e Y, etc. Metam isto na cabeça DUMA VEZ POR TODAS: Será onde houver as melhores condições operacionais. e serão pilotos e especialistas da aviação comercial a decidir!

TecnoCalotes 19.12.2016

Como é costume em Portugal, está tudo do contra e toda a gente larga a sua posta com argumentos ao quilo.

Anónimo 18.12.2016

HÁ COISAS QUE NÃO DÁ PARA ENTENDER E ESTÃO ATÉ AO ALCANCE DUM LEIGO. MONTIJO É TEMPORAL.APARENTEMENTE PODE SER MAIS BARATO MAS DAQUI A UMA DÚZIA DE ANOS ESTAMOS OUTRA VEZ A PENSAR NO MESMO ENQUANTO ALCOCHETE É ETERNO E PODE SER FEITO POR FASES E HÁ AJUDAS EUROPEIAS ONDE É A DUVIDA PELO MELHOR?!

António 18.12.2016

O Aeroporto no Montijo é uma má solução. Mas Alcochete e Ota são bem piores.
Usar a Base Aérea de Sintra é bem mais inteligente. Está próxima de locais de destino de turistas (Sintra, Cascais, Ericeira, ...). O investimento em Sintra é baixo. Tem autoestrada ao lado e comboio muito próximo.

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub