Empresas Pequenas indústrias do Norte dominam PME Excelência 2017

Pequenas indústrias do Norte dominam PME Excelência 2017

O selo atribuído pelo IAPMEI e Turismo de Portugal é concedido este ano a 1.947 empresas portuguesas. Veja a lista das distinguidas e a distribuição por distrito, dimensão e sector de actividade.
Pequenas indústrias do Norte dominam PME Excelência 2017
António Larguesa 20 de fevereiro de 2018 às 08:00

Um total de 1.947 empresas portuguesas vão poder ostentar o selo PME Excelência 2017 durante o próximo ano, um estatuto atribuído pelo IAPMEI (Instituto de Apoio às Pequenas e Médias Empresas) e pelo Turismo de Portugal para certificar os indicadores de solidez e desempenho económico e financeiro.

 

Os negócios merecedores desta marca de reputação vão ser distinguidos em Gondomar esta terça-feira, 20 de Fevereiro, numa cerimónia apresentada como "o mais importante evento de PME a nível nacional, que visa sinalizar o mérito e conferir notoriedade às empresas distinguidas, bem como fornecer indicadores que possam servir de ‘benchmark’ para o tecido empresarial no seu todo". 

 

Estas quase duas mil empresas foram seleccionadas com base no universo das mais de sete mil empresas com o estatuto PME Líder à data de 17 de Outubro de 2017, num trabalho conjunto com vários parceiros, sobretudo do sistema financeiro: Banco BIC, BPI, Bankinter, Caixa Geral de Depósitos, Crédito Agrícola, Millennium bcp, Montepio, Novo Banco, Novo Banco Açores, Santander Totta, PME Investimentos, as sociedades de garantia mútua Agrogarante, Garval, Lisgarante, Norgarante, a Associação Portuguesa de Ética Empresarial, COSEC, CTT, Fidelidade, Futuro-Fundos de Pensões, Galp Energia, Grenke, Informa D&B e Universidade Católica.

 

Mais de dois terços das PME Excelência 2017 são empresas de pequena dimensão (1.335), enquanto as 517 de média dimensão representam pouco mais de um quarto do total. Sem surpresa, as de dimensão micro são as menos representadas neste particular, somando menos de uma centena (95) nesta lista. 

 

Em termos sectoriais, a análise mostra que são as indústrias, seguidas de perto pelas empresas comerciais, que mais poderão aproveitar este estatuto, com a validade de um ano, que o instituto público liderado por José Marques dos Santos destaca ser um reconhecimento que também no plano internacional "constitui um factor de diferenciação e um garante da solidez e idoneidade das empresas".


E a maior parte dos empresários nem precisam de fazer uma viagem longa para receber a distinção nesta cerimónia realizada no Pavilhão Multiusos de Gondomar – haverá galardões específicos nas categorias de Exportação, Produtividade, Criação de Valor, Crescimento, Gazela, Emprego, Longevidade e Turismo. Com 415 empresas, o distrito do Porto supera o de Lisboa (369) no topo da lista pelo critério geográfico, surgindo também em destaque no mapa das PME Excelência 2017 as localizações de Braga (217) e Aveiro (208).

 
Clique no distrito para ver quantas PME Excência existem:

  

Conheça os critérios de selecção das empresas PME Excelência 2017

Para todos os sectores de actividade – com excepção do turismo – as empresas devem cumprir cumulativamente os seguintes critérios: 

- Autonomia Financeira em 2016 >= 37,5% (Capitais Próprios/Activo);
- Rendibilidade Líquida do Capital Próprio >= 12,5% (Res.Líquido/CapPróprio);
- Dívida Financeira Líquida/EBITDA <= 2,5 (Net Debt/EBITDA);
- EBITDA/Activo >= 10%;
- EBITDA/Volume de Negócios >= 7,5%;
- Crescimento do Volume de Negócios >= 0%;
- Nível de rating, atribuído pelas Sociedades de Garantia Mútua, não superior a 5, na escala de rating do Sistema de Garantia Mútua.

Para as empresas do sector do turismo:

- Autonomia Financeira em 2016 >= 37,5% (Capitais Próprios/Activo);
- Rendibilidade Líquida do Capital Próprio >= 8%, para empresas das divisões 55, 90, 91, 93 e 96 da CAE e >=12,5% para as restantes CAE Turismo (Res.Líquido/CapPróprio);
- Dívida Financeira Líquida/EBITDA <= 3,5% - para empresas das divisões 55, 90, 91, 93 e 96 da CAE e, <= 2,5% para as restantes CAE Turismo (Net Debt/EBITDA);
- EBITDA/Activo >= 10%;
- EBITDA/Volume de Negócios >= 7,5%;
- Crescimento do Volume de Negócios >= 0%;
- Nível de rating, atribuído pelas Sociedades de Garantia Mútua, não superior a 5, na escala de rating do Sistema de Garantia Mútua.






pub