Energia PGR garante que Manuel Pinho foi informado dos factos quando foi constituído arguido

PGR garante que Manuel Pinho foi informado dos factos quando foi constituído arguido

A PGR garante que o antigo ministro teve conhecimento dos factos que lhe são imputados, ao contrário do que disse o advogado Ricardo Sá Fernandes.
PGR garante que Manuel Pinho foi informado dos factos quando foi constituído arguido
André Cabrita-Mendes 04 de julho de 2017 às 16:18
A Procuradoria-Geral da República (PGR) garante que Manuel Pinho foi informado dos factos pelos quais foi constituído arguido no processo dos CMEC, ao contrário do que disse o advogado do antigo ministro.

"Confirma-se a constituição de arguido no âmbito do designado processo dos CMEC. No momento da constituição, o arguido foi informado dos factos que lhe são imputados", garantiu fonte oficial da PGR ao Negócios esta terça-feira, 4 de Julho.

Manuel Pinho foi constituído arguido na investigação aos acordos assinados entre o Estado português e a EDP. O antigo ministro da economia deslocou-se na segunda-feira à sede da Polícia Judiciária. 

À saída, o advogado de Manuel Pinho criticou a actuação das autoridades policiais e judiciais por não terem questionado o seu cliente nem terem comunicado os factos que lhe são imputados.

"O doutor Manuel Pinho é o primeiro interessado que tudo fique esclarecido. Não é contra este inquérito. Ele está aqui disponível para prestar declarações, mas não é feita uma única pergunta", sublinhou o advogado na segunda-feira.

"Não sabemos o que está em causa. O doutor Manuel Pinho tem o direito a saber o que está em causa. Quando se vier a saber, prestará então esclarecimentos concretos", garantiu Ricardo Sá Fernandes.

 

O advogado também declarou que tinha pedido a nulidade da constituição do antigo ministro da Economia como arguido. "Nós arguimos a nulidade da constituição do doutor Manuel Pinho como arguido e do facto de não lhe terem sido nem tomadas declarações, nem de lhe terem sido comunicados os factos", revelou Ricardo Sá Fernandes.

Um dia depois destas declarações, a Procuradoria-Geral da República veio agora a público garantir que Manuel Pinho teve conhecimento dos factos que lhe são imputados.

O Ministério Público está a investigar se existe qualquer ligação entre o convite feito a Manuel Pinho para dar aulas numa universidade norte-americana, num curso financiado pela EDP, e a sua passagem pelo ministério da Economia, durante o Governo de José Sócrates. Durante a sua passagem pela Horta Seca, Manuel Pinho participou na tomada de decisão de medidas importantes no sector de energia, como a aprovação do mecanismo CMEC (Custos para a Manutenção de Equilíbrio Contratual), ou a extensão da concessão de 27 barragens à EDP, sem concurso público.

O inquérito, levado a cabo pelo Departamento Central de Investigação e Ação Penal está a investigar "factos susceptíveis de integrarem os crimes de corrupção activa, corrupção passiva e participação económica em negócio".



A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado JCG Há 1 semana

Tenho a sensação de que vivo num país de garotelhos, de gente infantil, órfãos - daí o sucesso de Marcelo nos afectos e afagos - em geral de gente menor, medíocre, sem grande dignidade e carácter... a frequência com que me deparo com afirmações contraditórias sobre os mesmos factos é uma forte ilustração do estado mental desta gente. Ontem vi o Sá Fernandes ao lado do sorridente Pinho a dizer que não lhe deram qualquer informação e justificação; hoje leio aqui o seu contrário... em que ficamos?

comentários mais recentes
saraiva14 Há 1 semana

É a esquerdalhada no seu melhor! A esquerdalhada quer é arranjar factos e estórias que sirvam para desviar atenções e 'amerdalhar' tudo o que diga respeito a capital e de Direita, para a esquerdalhada continuar na crista da onda!

saraiva14 Há 1 semana

Manuel Pinho arranjou um advogado muito rasca! Não abona ninguém! O 'Sá Fernandes' é um apelido muito conspurcado!

JCG Há 1 semana

Tenho a sensação de que vivo num país de garotelhos, de gente infantil, órfãos - daí o sucesso de Marcelo nos afectos e afagos - em geral de gente menor, medíocre, sem grande dignidade e carácter... a frequência com que me deparo com afirmações contraditórias sobre os mesmos factos é uma forte ilustração do estado mental desta gente. Ontem vi o Sá Fernandes ao lado do sorridente Pinho a dizer que não lhe deram qualquer informação e justificação; hoje leio aqui o seu contrário... em que ficamos?

Quando coisas simples se Há 1 semana

transformam em romances de cordel é principio do fim. Quem fala verdade ? o procurador ou o advogado ? consequências tem saber quem mente. É com esta simplicidade de resolução dos problemas que, o que, se seguirá não ficará inquinado, como outros processos que se arrastam à anos e sem fim à vista

pub
pub
pub
pub