Bolsa Pharol afunda 20% após máximo de mais de um ano

Pharol afunda 20% após máximo de mais de um ano

Os títulos da empresa que é principal accionista da Oi interrompem mais de uma dezena de sessões em que ainda não tinham perdido valor e corrigem de máximos de ano e meio.
Pharol afunda 20% após máximo de mais de um ano
Pedro Elias/Negócios
Paulo Zacarias Gomes 13 de fevereiro de 2017 às 09:39

A empresa liderada por Luís Palha da Silva (na foto) interrompeu uma série de 12 sessões em que não tinha registado perdas e já chegou a afundar 20% na sessão desta segunda-feira, 13 de Fevereiro.


Os papéis corrigem assim de máximos de ano e meio (Junho de 2015) tocados na sessão de sexta-feira passada. Ao longo da primeira hora de negociação, os títulos já oscilaram entre a queda máxima de 20% e uma subida de 8,94%. Recuam agora 16,28% para 0,365 euros.

Em menos de um mês, na sequência da série de apreciações verificadas - impulsionadas pela expectativa de um desfecho positivo na recuperação judicial da brasileira Oi, de que a Pharol é maior accionista, os títulos da empresa quase duplicaram de valor.

"[A] Pharol tem sido um título afectado por uma elevada volatilidade, tendo valorizado 97% desde Janeiro. Dado o baixo preço da acção, e a onda de optimismo de que está a ser alvo, torna-se um activo interessante para os especuladores que procuram um trading intra-diário," considera Henrique Romão Dias, gestor da corretora XTB, em nota a que o Negócios teve acesso.


Nos últimos dias, notícias de que o fundo Cerebrus estaria a preparar uma proposta de recuperação para a Oi também impulsionaram os papéis da empresa que cota na bolsa portuguesa.

Este fim-de-semana a Pharol comunicou que depois de a Oi não ter recorrido da decisão do Tribunal da Holanda de não aceitar a conversão em processo de falência da protecção contra credores da PT Finance e de uma subsidiária da Oi nesse país, alguns credores avançaram para o pedido.

(Notícia actualizada às 11:29 com mais informação)




A sua opinião14
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
jacinto 1946.pinheiro @gmail.com Há 2 semanas

O sr vidente que de vidente pouco tem,e de conhecimento da Pharol ainda menos ,devido a tantas asneiras que diz.Identifique se com o real situação da empresa e não fale do que não sabe por favor.

o vidente Há 2 semanas

mas qual OPA se a oi está falida com uma divida ás COSTAS de 20 MIL MILHÕES DE EUROS voçÊS são todos MALUCOS a pharol nem 5 CÊNTIMOS VALE

Anónimo Há 2 semanas

Assim que ouviram falar em opa era só comprar, agora só ouvem dizer que está falido e não à investimento vendem isto é lindo não à dúvida.

Pharol Há 2 semanas

Não vendam porra. Estão a lixar a ação.

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub