Empresas Pinto Balsemão critica "lixeira gigantesca" nas redes sociais e nos motores de busca

Pinto Balsemão critica "lixeira gigantesca" nas redes sociais e nos motores de busca

O presidente do grupo Impresa criticou este sábado, na cidade da Praia, a "lixeira gigantesca" nas redes sociais e nos motores de busca, salientando que são cada vez mais explorados para difusão de "mentiras e meias verdades".
Pinto Balsemão critica "lixeira gigantesca" nas redes sociais e nos motores de busca
Pinto Balsemão considera que as redes sociais e os motores de busca são cada vez mais explorados "para difusão de mentiras, meias verdades e factos alternativos".
Sofia A. Henriques/Negócios
Lusa 29 de julho de 2017 às 19:03

"A lixeira gigantesca nas redes sociais e nos motores de busca é cada vez mais explorada para difusão de mentiras, meias verdades e factos alternativos", criticou Francisco Pinto Balsemão, presidente do grupo Impresa e antigo jornalista, hoje, 29 de Julho, quando falava, na cidade da Praia, numa conferência sobre democracia e governança, num debate com o ex-primeiro-ministro cabo-verdiano José Maria Neves.

 

O também antigo primeiro-ministro português lembrou que isso sempre existiu e foi denunciado, mas notou que agora há "organizações montadas para difundir rapidamente notícias falsas".

 

Por isso, disse que a comunicação social pode desempenhar um papel importante, de "separar o trigo do joio", veicular opiniões sobre factos divergentes, para as pessoas decidirem consoante a sua própria vontade.

 

No capítulo do debate sobre a relação entre os partidos e a comunicação social, Pinto Balsemão disse que os media não podem ser considerados como o quarto poder, explicando que não foram eleitos.

 

Mas entendeu que os órgãos de comunicação social devem ser vistos como o "contrapoder", já que é a "outra face da moeda" capaz de fiscalizar os poderes instituídos.

 

Por sua vez, José Maria Neves disse que a relação entre partidos e comunicação é "sempre difícil, tensa e há uma desconfiança mútua", mas considerou ser "fundamental" para a democracia que haja liberdade de imprensa e a possibilidade do dissenso.

 

O ex-chefe de Governo entendeu também que os media não são o quarto poder, mas sim o centro do poder, onde os dissensos são importantes.

 

A conferência foi organizada pela Fundação José Maria Neves para a Governação, que mensalmente convida personalidades nacionais e estrangeiras para falar sobre determinado assunto.

 

Com o tema "Democracia e Governança: um Futuro a Construir?", foi a quarta conferência da fundação que nasceu em Abril último e que José Maria Neves é patrono e presidente.




A sua opinião12
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 3 semanas

"No capítulo do debate sobre a relação entre os partidos e a comunicação social, Pinto Balsemão disse que os media não podem ser considerados como o quarto poder, explicando que não foram eleitos."
Ele sabe muito bem que a comunicação social ainda é o 1º poder, por isso está preocupado com a Internet, pois esterco televisivo tem ele a rodos na SIC.

comentários mais recentes
Anónimo Há 1 semana

Prestem atenção à subida da Impresa. Quando dermos por ela, após o fecho de bolsa, vai duplicar de valor ( da mesma forma que aconteceu com o Montepio). OPA da NOS, ou será VODAFONE !!!

Anónimo Há 2 semanas

Para breve OPA da NOS sobre IMPRESA. O Balsemão anda a provocar a Isabel dos Santos, com a saída dos canais SIC em Angola.
Vamos ver quem manda! São os euros!!! IMPRESA A DUPICAR DE VALOR (da noite para o dia, como aconteceu com o Montepio)

Anónimo Há 3 semanas

Sr. Balsemão no meu ponto de vista o bom jornalismo/mau jornalismo teve a sua notória marca na era socrática. É vergonhoso o "manchetes" da "Rtp".

Anónimo Há 3 semanas

Será que o Balsemão também se quer candidatar a deputado europeu como o "Marinho" que quis calar o povo anónimo. Acabem também com o voto anónimo!

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub