Start-ups Plataforma de alojamento para universitários gera 100 milhões em rendas em cinco anos

Plataforma de alojamento para universitários gera 100 milhões em rendas em cinco anos

A Uniplaces, que detém uma plataforma online para o alojamento de estudantes universitários, superou a fasquia dos 100 milhões de euros em rendas para proprietários e senhorios desde a criação da plataforma, em 2012.
Plataforma de alojamento para universitários gera 100 milhões em rendas em cinco anos
Miguel Baltazar/Negócios
Ana Laranjeiro 29 de janeiro de 2018 às 11:49

100 milhões de euros. Foi este o valor gerado em rendas para proprietários e senhorios – em seis países europeus - que colocam os anúncios na plataforma online de alojamento para estudantes universitários Uniplaces. Esta fasquia é cumprida  cinco anos depois do lançamento da empresa (nasceu em 2012), que tem o mesmo nome que a plataforma.

"Só durante o último ano, o número de contratos celebrados na Uniplaces cresceu 85% face a 2016, num total de três milhões de noites em arrendamentos", pode ler-se no comunicado da empresa enviado às redacções.

Actualmente, na Uniplaces estão 50 mil anúncios activos, para locais de alojamento em várias cidades europeias. "Para 2018 a plataforma tem como objectivo aumentar o número global de ofertas para mais de 73 mil anúncios".

André Rodrigues Pereira, Country Manager da Uniplaces em Portugal, em comunicado, salienta que "o mercado de arrendamento universitário apresenta um forte potencial e, concretamente no nosso país vimos que o investimento particular em residências universitárias é crescente, tanto da parte de promotores nacionais como internacionais". "Portugal conta com um forte défice em termos de oferta de alojamento para estudantes e estima-se que faltem entre 13.000 e 18.000 camas nas cidades de Lisboa, Porto e Coimbra. É, portanto, um mercado de elevado potencial", acrescentou.

A Uniplaces, explica em comunicado, que "garante a maximização da taxa de ocupação do imóvel e, consequentemente, uma maior rentabilidade, assumindo todos os custos de marketing e promoção para que o anúncio da propriedade alcance um maior número estudantes".

A empresa co-fundada por Miguel Santo Amaro (na foto) está a trabalhar no sentido de firmar parceiras com empresas de limpeza, manutenção e lavandaria para aumentar os serviços que podem ser prestados aos proprietários dos imóveis, segundo a mesma fonte.

Uniplaces: uma das primeiras start-ups a instalar-se em Lisboa

A Uniplaces foi uma das primeiras start-ups a nascer na incubadora Startup Lisboa (uma iniciativa da autarquia – na altura liderada por António Costa – e pelo Montepio). Em 2016, na inauguração dos novos escritórios da Uniplaces em Lisboa (localizados na zona do Rossio), o actual primeiro-ministro, António Costa, o ministro da Economia, Caldeira Cabral, o então secretário de Estado da Indústria, João Vasconcelos (que aquando da fundação da Uniplaces eram director da Startup Lisboa) marcaram presença. E António Costa aproveitou a oportunidade para contar uma história.

"Era uma vez, um país que, em 2011, estava numa crise muito profunda. Todos os dias víamos nos jornais más notícias. Achámos na Câmara de Lisboa que tínhamos de adoptar um lema: para cada má notícia era preciso uma boa iniciativa. E havia um centro de más notícias: a Baixa de Lisboa – que estava decadente, cheia de prédios vazios e envelhecida. Havia uma história muito triste de excelentes jovens que eram formados nas universidades e não tinham emprego ou estavam a sair do país. Ai surgiu uma ideia no orçamento participativo da Câmara: criar na Rua da Prata, num prédio que é do Montepio, a Startup [Lisboa]", relatou.

Apesar de várias pessoas terem manifestado dúvidas sobre a abertura de empresas num espaço que precisa de ser reabilitado, a autarquia, na altura liderada por António Costa, decidiu avançar com a ideia. "Foi assim que arrancou a Startup [Lisboa]. Nessa Startup, apareceu uma primeira empresa: três miúdos - Miguel, Mariano e Ben – e disseram viemos fundar uma empresa. E essa empresa é o quê? Vamos arranjar quartos para os estudantes Erasmus que vêm para Lisboa. Achei esta empresa muito parecida com uma página de anúncios classificados num jornal mas aquilo que eles demonstraram (…) foi que cada ideia pode ser mais do que um anúncio de classificados num jornal. Essa ideia chama-se Uniplaces", acrescentou na altura o primeiro-ministro.

A ida para os novos escritórios, em 2016, foi mais um dos sinais do crescimento da empresa. Em Novembro de 2015, a Uniplaces obteve uma ronda de financiamento no valor de cerca de 22 milhões de euros.

Em Setembro de 2016, a empresa anunciou que gerava um milhão de euros semanalmente em arrendamentos. Ao longo deste tempo, a empresa apostou na abertura de mercados, estando actualmente em vários países europeus (além de Portugal), como: Espanha, Itália, França, Alemanha e Reino Unido.




pub