Empresas Pó-de-talco vale multa de 350 milhões à Johnson&Johnson

Pó-de-talco vale multa de 350 milhões à Johnson&Johnson

Ainda as centenas de processos que o fabricante norte-americano enfrenta por alegado efeito nocivo do seu pó-de-talco em mulheres quando usado na higiene íntima.
Pó-de-talco vale multa de 350 milhões à Johnson&Johnson
Paulo Zacarias Gomes 21 de agosto de 2017 às 22:08
A multinacional de origem norte-americana Johnson&Johnson foi condenada a pagar uma indemnização de 417 milhões de dólares (353 milhões de euros à cotação actual) a uma mulher que alegou ter desenvolvido cancro nos ovários depois de utilizar, na sua higiene íntima, pó-de-talco daquela empresa.

A decisão, conhecida esta segunda-feira, 21 de Agosto, foi tomada por um tribunal de júri na Califórnia, Estados Unidos, e é até ao momento o valor mais elevado a que a empresa é condenada no âmbito de uma série de processos judiciais interpostos por clientes que alegam que a J&J sabia da perigosidade do produto mas pouco fez para avisar os clientes.  

A empresa já prometeu, segundo o Financial Times, recorrer da sentença que a obriga neste caso a indemnizar a cliente Eva Echeverria.

Foi, de resto, o que fez também entre Fevereiro e Maio do ano passado, quando foi condenada, no mesmo processo, a pagar duas indemnizações (respectivamente de 62 e de 55 milhões de dólares), num dos casos após a morte da cliente que terá usado o produto.

Na altura a J&J defendeu-se, argumentando que a decisão judicial contradiz as décadas de investigação levadas a cabo pela marca, enquanto cientistas citados pela Reuters consideravam inconclusiva a relação entre o uso destes produtos e o desenvolvimento da doença.

A J&J tinha em Maio do ano passado cerca de 1.200 processos contra si em tribunal por alegada falta de informação aos consumidores em relação aos riscos de desenvolvimento de cancro pelo uso de produtos com base de talco. Segundo a Reuters, esse valor ascende actualmente a 4.800 queixas e só no estado do Missouri a empresa já foi condenada a pagar 300 milhões de dólares em indemnizações. 

No início deste ano, segundo o Financial Times, os custos da empresa com processos legais ascendiam a 817 milhões de dólares, quase quintuplicando o valor alocado a este fim no mesmo período de 2016.

As acções da Johnson&Johnson terminaram a sessão desta segunda-feira a valorizar 0,59% para 133,45 dólares.



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub