Media Portugal está abaixo da média da União Europeia no digital

Portugal está abaixo da média da União Europeia no digital

Portugal está em 21.º lugar no Índice de Densidade Digital entre os 33 países analisados pela Accenture Strategy e pela Oxford Economics. O peso do digital no PIB nacional ronda os 20%.
Portugal está abaixo da média da União Europeia no digital
Sara Ribeiro 26 de setembro de 2017 às 21:40
Portugal está abaixo da média da União Europeia no Índice de Densidade Digital (IDD), que identifica a real penetração das tecnologias digitais em várias economias. De acordo com o estudo da Accenture Strategy e da Oxford Economics , Portugal encontra-se no 21.º lugar entre os 33 países analisados.

O mesmo relatório, que será apresentado esta semana durante o congresso da Associação Portuguesa para o Desenvolvimento das Comunicações (APDC), estima ainda que o digital representa menos de 20% do Produto Interno Bruto (PIB) nacional, um valor que se situa também abaixo da média dos países desenvolvidos (28%).

Tendo em conta estes números, e considerando a importância do digital no crescimento económico, o estudo aponta algumas iniciativas para o desenvolvimento da economia digital que podem representar um ganho no PIB de 3,2 mil milhões de euros em 2020.

O reforço das competências digitais nas empresas é uma das medidas destacadas. Até porque, como sublinha Luís Pedro Duarte, responsável da Accenture pelo estudo, "a percentagem de diplomados no ensino superior na área de Ciências, Matemática e Informática em Portugal é de 7%, o que compara com 14% na Alemanha".

Para duplicar o peso dos especialistas de tecnologia na força de trabalho, dos actuais 2,5% para 5%, o estudo sugere a adopção de modelos de recrutamento flexíveis, como por exemplo "através da atracção de recursos internacionais" e a "criação de programas universitários específicos".

O aumento do investimento e aproveitamento de tecnologias , "o lançamento de novas políticas fiscais que tornem o país mais atractivo ao capital estrangeiro" e o "empenho" por parte das empresas na "conjugação da "nova" com a "velha" economia, propiciando um modelo de co-criação e reinvenção de negócios que as posicionem como parceiros locais das novas grandes multinacionais", são outras das medidas sugeridas pelo estudo para aumentar o peso do digital na economia portuguesa.



A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Pois 26.09.2017

O digital vai fazer puffff

pub