Banca & Finanças Portugal contribui para Moody’s subir "rating" da Fosun

Portugal contribui para Moody’s subir "rating" da Fosun

A agência Moody’s elogia a gestão das empresas adquiridas pela Fosun, com destaque para Portugal.
Portugal contribui para Moody’s subir "rating" da Fosun
Reuters
Nuno Carregueiro 17 de janeiro de 2018 às 11:58

A agência de notação financeira Moody’s elevou o "rating" da Fosun de Ba3 para Ba2, tendo também melhorado o "outlook" de estável para positivo, o que sinaliza que poderão ser efectuadas mais melhorias na classificação da dívida.

 

A Moody’s considera que o maior accionista do BCP providenciou mais transparência na sua estratégia de investimento e alterou o foco para negócios estáveis (cuidados de saúde, farmácia, turismo e lazer e seguros), o que "melhora a sua capacidade para lidar com o risco" dos ciclos económicos".

 

A subida do "rating" reflecte "a melhoria do perfil de negócio, que deverá reduzir a volatilidade no desempenho futuro", diz Lina Choi na nota onde é anunciada a revisão em alta do "rating".

 

A justificar a subida da notação financeira está também o bom desempenho da Fosun na gestão dos activos adquiridos. A Moody’s dá como exemplo a actividade da empresa em Portugal, onde conseguiu manter a liderança no mercado de seguros e gerar lucros desde que adquiriu a Fidelidade em 2014.

 

Portugal foi um dos primeiros mercados relevantes no qual a Fosun cresceu através de aquisições. A companhia chinesa é a maior accionista do BCP e dona da seguradora Fidelidade e da Luz Saúde. 

 

O presidente da Fosun teve na semana passada um encontro com Marcelo Rebelo de Sousa e, segundo a Presidência da República, "manifestou grande satisfação com as actividades que têm vindo a desenvolver em Portugal e manifestou a vontade de continuar a apoiar, de forma permanente e crescente, a economia portuguesa e o investimento em Portugal, em diversas áreas".