Media Portugal poderá ultrapassar os 250 festivais de música em 2017

Portugal poderá ultrapassar os 250 festivais de música em 2017

Os festivais de música têm-se afirmado como um campo privilegiado para as marcas estarem presentes. Para 2017, ano de eleições autárquicas, já estão confirmados 166 destes eventos. A tendência tem sido antecipar os anúncios do cartaz, para fazer mexer o negócio.
Portugal poderá ultrapassar os 250 festivais de música em 2017
Paulo Duarte/Negócios
Wilson Ledo 18 de maio de 2017 às 20:33
Há já 166 festivais de música anunciados para 2017 em Portugal. O número deverá ainda aumentar até ao final do ano, superando os 249 realizados em 2016, prevê a Aporfest – Associação Portuguesa de Festivais de Música.

O cenário é justificado não só pela melhoria do clima económico mas também pelo facto de este ser um "ano de eleições", explica a associação. Os anúncios de data, localização e primeiros nomes de convidados estão, também eles, a ser feitos com maior antecedência.

Porquê? Numa tentativa de ganhar destaque na imprensa, posicionar o festival e fidelizar o público e fazê-lo ser porta-voz do evento junto da respectiva rede de contactos. Com isto, acrescenta a Aporfest, é também possível aproveitar a época de Natal e antecipar um maior volume de vendas, aumentando o poder de negociação.

No ano passado realizaram-se mais 39 festivais do que em 2015 e, pela primeira vez desde 2013, inverteu-se a subida no número de festivais que deixam de existir. Contudo, tal não indica uma "área suficientemente maturada e rentável", explica um porta-voz da Aporfest ao Negócios.

A música levou ao terreno mais de dois milhões de pessoas num ano em que se estrearam outros 64 festivais. O estudo da Aporfest mostra que existiram 22 festivais com referência ao patrocinador no nome. Os três preferidos dos portugueses comprovam-no: Nos Alive (19%), Super Bock Super Rock (15%) e Vodafone Paredes de Coura (13%).

Para 2017, a três meses de abrir portas, o Nos Alive estava completamente esgotado. É a primeira vez que tal acontece com tamanha antecedência. Pelo passeio marítimo de Algés passarão mais de 165 mil pessoas de 6 a 8 de Julho.

Os festivaleiros dividem-se quanto à importância da presença de marcas nestes eventos de música: 45% diz que esta melhora a experiência, 41% diz ser indiferente.

No campeonato da memória é à Vodafone que cabe a liderança (16%), seguida da rival Nos com 15%. Super Bock, EDP, Meo, Heineken e Caixa Geral de Depósitos figuram ainda na lista de associação.

A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
PEDRO Há 6 dias

Com um pouco mais de esforço podemos chegar a quase 1 por dia.

FESTAS MULHERES E COPOS Há 6 dias

FESTAS MULHERES E COPOS, se calhar o outro tem razão lol

Anónimo Há 1 semana

Portugal poderá ultrapassar os 250 festivais de música em 2017

E AINDA FALTA O FESTIVAL DA PAROLICE!

Mr.Tuga Há 1 semana

INCOERENCIA!

O tuga POBRETANAS E FALIDO é o REI dos festivaleiros..... Alias, é o rei das futilidades e inutilidades despesistas!
Va-se la perceber?!?

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub