Start-ups Portugal possui "melhor regime fiscal da Europa" para tecnológicas

Portugal possui "melhor regime fiscal da Europa" para tecnológicas

O secretário de Estado da Indústria, João Vasconcelos, afirmou hoje, no Funchal, que Portugal possui o "melhor regime fiscal da Europa" para quem investe na área das novas tecnologias e destacou a aposta do Governo no empreendedorismo.
Portugal possui "melhor regime fiscal da Europa" para tecnológicas
Miguel Baltazar/Negócios
Lusa 25 de Outubro de 2016 às 19:22

"O nosso objectivo é ajudar as novas empresas a estarem preparadas para aproveitar as oportunidades", disse o governante, durante a apresentação e lançamento da Startup Madeira, uma incubadora de empresas ligadas às novas tecnologias.

 

João Vasconcelos disse que o Governo liderado por António Costa pôs em marcha várias medidas que permitem estimular as empresas desde a "ideia" até ao "processo de internacionalização", nomeadamente através de linhas de financiamento, onde se inclui o programa Semente, que permite deduzir 100 mil euros em sede de IRS.

 

"Isto é histórico, é único e coloca Portugal como o país com o melhor regime fiscal da Europa para quem investe em 'startups'", vincou.

 

O termo 'startup' designa uma empresa pequena e ainda em fase de desenvolvimento na área das novas tecnologias.

 

"Nunca em Portugal houve tanta visão e tanta importância dada a esta matéria", assegurou João Vasconcelos, no decurso de uma cerimónia onde foram entregues os prémios "Innovation Awards", para os quais foram previamente seleccionados 25 empreendedores, projectos e 'startups' que nos últimos anos fizeram mover diversas áreas de negócio na Madeira.

 

O presidente do Governo Regional, Miguel Albuquerque, sublinhou, por seu lado, que o executivo criou o "ambiente propício" para o desenvolvimento das empresas tecnológicas na região autónoma, lembrando que algumas já chegaram aos mercados internacionais, como Estados Unidos, Canadá, Espanha e África.

 

"A economia da Madeira vai continuar a assentar no sector do turismo, que representa 25% do Produto Interno Bruto, mas temos de diversificar a nossa base económica", advertiu, salientando que esse processo passa, em grande parte, pelo Centro Internacional de Negócios e pelas empresas tecnológicas.

 




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Gatunos Há 2 semanas

Pura mentira , quem tem o melhor regime fiscal para se investir em startups é a Inglaterra aonde se pode deduzir até 50% do investimento no meu IRS as empresas idem no IRC.

comentários mais recentes
Gatunos Há 2 semanas

Caro João Vasconcelos vai a Inglaterra aprender como o Estado Ingles ajuda e incentiva o investimento em startups.
Neste pais de atrasados metais o teu desgoverno só dá um incentivo de 25% do investimento a ser abatido no IRS e esses 25% do investimento tem que ser menor que 40% do IRS.

Gatunos Há 2 semanas

Pura mentira , quem tem o melhor regime fiscal para se investir em startups é a Inglaterra aonde se pode deduzir até 50% do investimento no meu IRS as empresas idem no IRC.

pub
pub
pub
pub