Turismo & Lazer Portugal registou o quarto maior crescimento europeu no número de dormidas

Portugal registou o quarto maior crescimento europeu no número de dormidas

O crescimento no número de dormidas em Portugal foi superado apenas pelas subidas registadas na Letónia, Eslovénia e Croácia.
Portugal registou o quarto maior crescimento europeu no número de dormidas
Bloomberg
André Cabrita-Mendes 24 de janeiro de 2018 às 11:01
Portugal está entre os países europeus que registaram uma maior subida no número de turistas recebidos em 2017, em termos de dormidas.

Os maiores crescimentos no número de dormidas em 2017 foram registados na Letónia (+12%), Eslovénia (+11,3%) e Croácia (10,6%), segundo os dados do Eurostat divulgados esta quarta-feira, 24 de Janeiro.

Portugal surge na quarta posição com um crescimento de 8% para um total de 71,3 milhões de dormidas em 2017. Deste total, 48,3 milhões de dormidas correspondem a não-residentes no país, com 23 milhões de dormidas a pertencerem a residentes. A percentagem de dormidas de não-residentes atingiu assim os 68%.

O número de dormidas totais em Portugal cresceu 8%, mas foi entre os não-residentes que se registou um maior crescimento, mais 9,9% face a 2016, enquanto que o número de dormidas de residentes cresceu 4,3%.

Entre os 28 países da União Europeia, a única queda nas dormidas registou-se no Luxemburgo com uma descida de 0,1%.

Espanha foi o país que registou o número mais elevado de dormidas de não-residentes, num total de 307 milhões. Já a Alemanha registou o número mais elevado de dormidas por parte de residentes: 317 milhões de dormidas.

Os países com uma maior percentagem de dormidas de não-residentes em 2017 foram: Malta (96%), Chipre (95%), Croácia (93%), Luxemburgo (90%), Grécia (80%), Áustria (71%) e Letónia (69%), com Portugal a surgir na oitava posição (68%).



A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Ze nabo Há 9 horas

Como vocês não ganham nada com isso é tudo mau! Voltem para o vosso ordenado minimo e a fazer contas no fim do mês, o anonimo excedentário afinal é que tem razão! Broncos....

surpreso Há 10 horas

Julgo que é aldrabice,já que a Espanha e a Itália tiveram crescimentos maiores e nem aparecem citrados

Mr.Tuga Há 10 horas

Pudera....
Sol e hotéis e restauração com preços de 3º mundo!!!

Esta trampa de sitio atrasado e mal frequentado é um PARAISO para turistazeco teso e um INFERNO para o tuga pagante de impostos, taxas e taxinhas....

Anónimo Há 10 horas

É preciso alertar que este turismo tenderá a decrescer quando o berço das grandes civilizações se tornarem destinos seguros como Egito,Arábia,Siria,Tunisia. e os atentados deixarem de existir na Ingkaterra,Bruxelas,França,Espanha ETC.O colapso seria o cometimento de atentado em Portugal.Instabilida

ver mais comentários
pub