Indústria Portugal tem 30 pedidos de prospecção e pesquisa de lítio

Portugal tem 30 pedidos de prospecção e pesquisa de lítio

Portugal é um dos poucos países da Europa que integra o grupo dos dez maiores produtores de lítio. O tipo de extracção é mais caro, mas o país tem potencial, refere o Público.
Portugal tem 30 pedidos de prospecção e pesquisa de lítio
Reuters
Negócios 23 de maio de 2017 às 08:59

Portugal pode assumir, nas próximas décadas, um papel destaque no panorama mundial de lítio, um mineral especialmente procurado devido ao crescimento do mercado dos automóveis eléctricos.

E já recebeu 30 pedidos de prospecção e pesquisa do mineral, de acordo com edição desta terça-feira do jornal Público, que explica que em causa estão propostas de 3,8 milhões de euros de investimento para 2.500 quilómetros quadrados. Os dados constam do relatório técnico do Grupo de Trabalho do Lítio, encomendado pelo Governo e que desde o final de Março está para ser apresentado.

Há contudo alguns desafios a superar, apontados no documento encomendado pelo secretário de Estado da Energia, Jorge Seguro Sanches. O mais relevante é encontrar um processo de transformação do lítio – que precisa de um grau de pureza de 99,5% para poder ser usado nas baterias dos carros eléctricos – que possa ser feito à escala industrial e que garanta rentabilidade.

São nove as principais regiões com ocorrências de mineralização de lítio em Portugal, todas nas regiões Norte e Centro: Caminha, Idanha-a-Nova, Barroso/Alvão, Seixo Amarelo/Gonçalo (Guarda) e Argemela são algumas das que são referidas. A Dakota Minerals tem desenvolvido a prospecção em Sepeda, concelho de Montalegre, com a empresa a considerar encorajadores os primeiros resultados de extracção.

Nas nove regiões já documentadas, o potencial mineral do país e a existência de recursos humanos qualificados são os pontos fortes identificados no relatório. Os pontos fracos são o facto de o conhecimento se ter acumulado de forma diferente nas diversas jazidas e o desinvestimento no sector mineiro, que fragilizou empresas e recursos humanos.




A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
AAAA 23.05.2017

EM VEZ DE SER EM PROL DO PAÍS, VAI PARA A MÃO DE "POLÍTICOS" E AMIGOS CORRUPTOS, OU DE ESTRANGEIROS, MAS ASSEGURANDO OS "POLÍTICOS" E AMIGOS PORTUGUESES A SUA QUOTA PARTE. BASTA LEMBRAR OS MEXIAS, CATROGAS, ARNAUTS, BOTTONS, ETC. ETC..

Anónimo 23.05.2017

Se der algo, não faltarão as famílias dos políticos e amigos a criar empresas em catadupa. Como no governo Socrático.

Manuel 23.05.2017

Cuidado com o lítio. Estudos apontam para o gigantesco perigo. Espero que não seja aqui perto de casa.

Anónimo 23.05.2017

É necessário fazer a ligação, desde a exploração do lítio até á sua utilização, defendendo os interesses de Portugal e de quem cá queira investir.

ver mais comentários
pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub