Start-ups Portugal Ventures investe em start-up com plataforma para controlar sistemas de rega

Portugal Ventures investe em start-up com plataforma para controlar sistemas de rega

A sociedade pública de capital de risco investiu na Rigger, uma start-up tecnológica que desenvolveu uma plataforma para controlar, de forma automática, os sistemas de rega. É o segundo investimento anunciado pela Portugal Ventures esta semana.
Portugal Ventures investe em start-up com plataforma para controlar sistemas de rega
Paulo Duarte
Ana Laranjeiro 16 de fevereiro de 2017 às 13:26

A Portugal Ventures, sociedade pública de capital de risco, investiu 100 mil euros na Rigger, uma start-up tecnológica que desenvolveu uma plataforma para controlar os sistemas de rega de forma automática.

"Fundada em Janeiro de 2017 e sediada no Fundão, a Rigger é uma start-up tecnológica focada no desenvolvimento e aplicação de modelos de inteligência que permitem controlar sistemas automaticamente. A plataforma Trigger.Systems que foi desenvolvida pela Rigger permite o controlo remoto de utilização de água com poupanças de 45% do consumo, sendo particularmente relevante para o sector agrícola e entidades que gerem espaços verdes de grande dimensão", refere o comunicado enviado às redacções pela Portugal Ventures.


O montante do investimento da capital de risco pública pode ascender a um total de meio milhão de euros "mediante cumprimento dos objectivos estabelecidos".


A start-up tem já instalados cerca de dois mil dispositivos, controlados pela plataforma Trigger.Systems, em clientes como as autarquias de Lisboa, Porto e Oeiras e a Fundação Calouste Gulbenkian e o Grupo Sovena, de acordo com a mesma fonte. A meta para os próximos 12 meses é de 30 mil dispositivos.

"O investimento da Portugal Ventures na Rigger é um contributo para a execução do Programa Indústria 4.0, que tem como objectivo apresentar soluções e ferramentas que valorizam, promovem e investem na digitalização da economia portuguesa", refere o comunicado.

Na última segunda-feira, a Portugal Ventures comunicou o investimento na biotecnológica BSIM2, uma empresa que opera na área da bio-informática e na químico-informática com o objectivo de desenvolver medicamentos usados no "combate a doenças amilóides neuro-degenerativas". Porém, o investimento BSIM2 insere-se no âmbito da aposta da Portugal Ventures na área da saúde e da biotecnologia e não da Indústria 4.0.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub