Start-ups Portugal Ventures vendeu participação na Indie Campers

Portugal Ventures vendeu participação na Indie Campers

A start-up Indie Campers no início da sua actividade recebeu investimento por parte da capital de risco pública. Agora, a Portugal Ventures “alienou a sua participação com sucesso”.
Portugal Ventures vendeu participação na Indie Campers
Paulo Duarte
Ana Laranjeiro 02 de outubro de 2017 às 11:37

A Portugal Ventures vendeu a participação que tinha na start-up Indie Campers, uma empresa de aluguer de autocaravanas e camper vans. A sociedade portuguesa de capital de risco investiu na empresa em 2015 e cerca de dois anos depois vende esta participação.

"Através do investimento da Portugal Ventures, a Indie Campers conseguiu fazer crescer a equipa inicial de três colaboradores para os actuais cerca de 80, tendo multiplicado o seu volume de negócios por quatro vezes entre 2015 e 2016, esperando crescer mais de 300% ainda este ano", refere o comunicado da sociedade de capital de risco, enviado às redacções.

 

Actualmente, a Indie Campers tem uma frota de 450 veículos e opera em quatro países – estando presente em mais de 70 locais. As expectativas da empresa passam por chegar a mais 10 países em 2018, segundo a mesma fonte.

 

Hugo Oliveira, CEO da Indie Campers, reconhece que o apoio dado pela capital de risco em 2015 foi "indispensável para potenciar e sustentar o crescimento que se acabou por verificar". "Agora, que queremos intensificar o nosso processo de internacionalização, achamos que era a situação que mais fazia sentido", justifica o responsável.

O CEO Portugal Ventures, Celso Guedes de Carvalho, por sua vez, salienta que a capital de risco está "orgulhosa por ter contribuído para a fase seed do projecto e ter sido um forte impulsionador do crescimento da Indie Campers".

"Com uma perspectiva de forte crescimento e através do seu plano de expansão, estamos certos que a Indie Campers irá continuar o seu projecto de internacionalização com muito sucesso, mantendo a sua posição como líder de mercado neste segmento", refere o comunicado.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub