Empresas Portuguesa DST constrói hipermercado de Isabel dos Santos em Luanda

Portuguesa DST constrói hipermercado de Isabel dos Santos em Luanda

O grupo bracarense DST é o responsável pela construção da galeria comercial Power Center Viana, na capital de Angola, que inclui um hipermercado da rede Candando, de Isabel dos Santos.
Portuguesa DST constrói hipermercado de Isabel dos Santos em Luanda
A DST é a responsável pela construção da galeria comercial Power Center Viana, em Luanda, onde ficará instalado um hipermercado da rede Candando, de Isabel dos Santos.
Rui Neves 27 de novembro de 2017 às 11:38

O terceiro hipermercado em Luanda da Candando, rede de hipermercados da empresária angolana Isabel dos Santos, ficará instalado na galeria comercial Power Center Viana, cuja construção está a cargo do grupo português DST e representa um volume de negócios de cerca de dois milhões de euros.

O novo projecto tem uma área de implementação de aproximadamente 13,2 mil metros quadrados, dos quais 8,5 mil serão ocupados pela loja de retalho de venda alimentar.

A empreitada, sob a alçada da DST Angola, conta com a intervenção das empresas do grupo Bysteel e DTE - Instalações Especiais.

 

Para além da realização do projecto de concepção e execução da estrutura metálica e revestimentos de cobertura e das especialidades da nova galeria comercial, da responsabilidade da Bysteel, a DTE tem a execução dos trabalhos constantes nos cadernos de estabilidade, arquitectura, circulação, sinalização, AVAC, projecto eléctrico, telecomunicações e segurança.

 

Esta obra "representa uma percentagem significativa no volume anual de facturação do grupo em Angola da Bysteel e da DTE", realça José Teixeira, presidente do DST, que sublinha ainda a "elevada margem de progressão deste cliente no mercado angolano".

 

Foi em Abril passado que abriu o segundo hipermercado Candando em Luanda, menos de um ano depois da estreia de Isabel dos Santos no negócio do retalho.

 

A rede Candando, do grupo Contidis, propriedade de Isabel dos Santos, é liderada pelo português Miguel Osório, ex-quadro da Sonae e director-geral do projecto, depois do fim da parceria da empresária angolana com o grupo co-liderado por Paulo Azevedo e Ângelo Paupério.  

 

"Candando" é uma palavra derivada da língua quimbundo, que significa "Abraço".




A sua opinião6
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado TinyTino Há 1 semana

É melhor pedirem uns adiantamentos...

comentários mais recentes
Anónimo Há 1 semana

Uns vão ficar mal servidos com a obra e outros não vão receber pelo que vão fazer/fornecer ...

Impossível Há 1 semana

Um supermercado a vender ovos?

AA Há 1 semana

ESTA APRENDEU DEPRESSA AO VER QUE OS MAIS RICOS PORTUGUESES ERAM DOIS MERCEEIROS. SÓ QUE INVESTIU COM O DINEHIRO QUE ROUBOU DURANTE DÉCADAS. PURA LAVAGEM ÀS CLARAS. BRANCO MAIS BRANCO NÃO HÁ.

TinyTino Há 1 semana

É melhor pedirem uns adiantamentos...

ver mais comentários
pub