Energia Prazo para mudar para mercado livre de electricidade alargado em três anos

Prazo para mudar para mercado livre de electricidade alargado em três anos

O prazo para as famílias mudarem para um comercializado de electricidade em mercado livre foi prolongado por três anos, para 2020 em vez de 2017, com a aprovação no parlamento da proposta do PCP hoje aprovada.
Prazo para mudar para mercado livre de electricidade alargado em três anos
Bloomberg
Lusa 25 de Novembro de 2016 às 19:30
A proposta de aditamento ao Orçamento do Estado para 2017 (OE2017) aprovada prevê o prolongamento do prazo para a extinção das tarifas transitórias para fornecimentos de electricidade aos clientes finais de baixa tensão normal prevista para 31 de Dezembro de 2017, estabelecendo 31 de Dezembro de 2020 como nova data.

O grupo parlamentar defende que "a existência de uma tarifa regulada é um referente decisivo de fiabilidade e confiança para o consumidor avaliar as tarifas dos contratos no mercado liberalizado e de combate a preços de monopólio".

Mais, os deputados argumentam que a liberalização das tarifas reguladas de electricidade "falhou completamente [...] como mecanismo para provocar a descida do valor das tarifas de energia eléctrica", baseando-se em avaliações recentes das tarifas do mercado liberalizado.

Os consumidores que ainda estão a ser fornecidos por um comercializador de último recurso dispõem de um período transitório até 31 de Dezembro de 2017 para escolherem um novo fornecedor de electricidade em mercado livre.

O mercado liberalizado de electricidade tinha em Agosto mais de 4,6 milhões de clientes, representando mais de 91% do consumo total em Portugal.



A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Nuno Alves Há 1 semana

Vergonha!

pub
pub
pub
pub