Turismo & Lazer Preço do imobiliário obriga a pausa em novos hotéis NH

Preço do imobiliário obriga a pausa em novos hotéis NH

A responsável da cadeia hoteleira espanhola para Portugal explica que têm sido estudadas oportunidades de abertura de novos hotéis, inviabilizadas sempre pelo preço crescente do imobiliário em Lisboa.
Preço do imobiliário obriga a pausa em novos hotéis NH
Bruno Simão
Wilson Ledo 25 de janeiro de 2017 às 15:44

O processo de expansão do grupo hoteleiro NH em Portugal está a ser condicionado pela subida acelerada do preço do metro quadrado em Lisboa. A posição foi defendida esta quarta-feira, 25 de Janeiro, pela directora de operações para Portugal e Espanha, Victoria Motilva Blázquez.

"Temos interesse em crescer em Portugal. Lisboa é uma cidade cara e o preço do metro quadrado tem subido", afirmou num encontro com jornalistas. Mesmo com este obstáculo, não fica excluído o reforço em Portugal mas sem objectivo definido: "podemos crescer com um, dois ou dez".


"A dificuldade é encontrar uma boa localização, com capacidade para os padrões que a NH exige para operar", acrescentou. Ao Negócios, Victoria Motilva Blázquez explica que as áreas da Avenida da Liberdade e Baixa são as mais atractivas embora a zona ribeirinha, entre a Praça do Comércio e o Museu de Arte, Arquitectura e Tecnologia (MAAT), seja também "interessante" pela "recuperação [de imóveis] que respeita o espírito da cidade".


A cadeia hoteleira espanhola procura instalar unidades com mais de 80 quartos, porque abaixo deste liimar o "retorno não é tão elevado" para o investimento envolvido. Em Portugal conta já com três hotéis: dois em Lisboa e um no Porto. Estados Unidos da América, França, Espanha, Alemanha e Reino Unido são, por esta ordem, as principais nacionalidades entre os clientes. Os portugueses só representam 2%.


Apesar da limitação na disponibilidade de activos para novos hotéis, há margem para crescer em Lisboa por outra vertente: a do preço. Por isso mesmo, e após oito meses de renovações, a unidade da Avenida da Liberdade integra agora uma gama superior, a NH Collection.


Embora sem adiantar valores específicos para Lisboa, o hotel que marcou o arranque do processo de internacionalização do grupo em 2000, Victoria Motilva Blázquez explicou que a renovação se integra num plano de 234 milhões de euros para reposicionar os hotéis da cadeia espanhola.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 4 semanas

Uns já viram que a bolha está ai.... os patos continuam a comprar.... Qualquer dia temos arroz ou à Pequim.

pub
pub
pub
pub