Aviação Preço dos bilhetes de avião desceu 40 euros em 2016

Preço dos bilhetes de avião desceu 40 euros em 2016

A Associação Internacional de Transporte Aéreo afirma que a descida das tarifas contribuiu para bater o recorde de passageiros transportados pelas companhias aéreas. Em 2016 foram 3,6 mil milhões.
Preço dos bilhetes de avião desceu 40 euros em 2016
Celso Filipe 02 de fevereiro de 2017 às 10:26

O preço das tarifas aéreas desceu, em média, 44 dólares (40 euros), circunstância que ajudou a bater o recorde de passageiros transportados pelas companhias aéreas, 3,6 mil milhões, ao longo do ano de 2016.

Estes dados estatísticos foram revelados esta quinta-feira, 2 de Fevereiro, pela IATA (Associação Internacional de Transporte Aéreo), a qual adianta que o tráfego de passageiros em 2016 revelou um aumento da receita das companhias de 6,3% face a 2015, avaliada pelo indicador passageiro/quilómetros percorridos. O mês de Dezembro foi particularmente forte, com um crescimento de 8,8%.

"A procura de transporte aéreo continua a crescer. O desafio para os governos é o de trabalharem em conjunto com a indústria para responder a essa procura com infra-estruturas que a possam acomodar. É também preciso uma regulação que facilite o crescimento e taxas aeroportuárias que não choquem com ele. Se alcançarmos isso, existe um potencial seguro e sustentável para que a indústria da aviação possa criar mais emprego e gerar mais riqueza", afirma Alexandre de Juniac, presidente executivo da IATA, em comunicado.

Por regiões, a Ásia-Pacífico é aquela que regista a maior quota de mercado do transporte aéreo, 32,9%, à frente da Europa, com 26,4%. Nas posições seguintes encontram a América do Norte, o Médio Oriente, a América Latina e a África, com quotas de mercado de 23,6%, 9,6%, 5,2% e 2,2%.


A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
investidor1 02.02.2017

https://goo.gl/forms/aPjvpQFDIwZ1Pphl1

Obrigado!

Anónimo 02.02.2017

Não foi o caso da TAP bem pelo contrário para América do sul subiu as tarifas em 60%

pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub