Transportes Preços dos transportes sobem até 2% em Janeiro

Preços dos transportes sobem até 2% em Janeiro

O aumento deverá permitir aos operadores libertarem meios para investimento, defende o secretário de Estado Adjunto e do Ambiente ao Jornal de Notícias. E deverá ser compensado pela dedução do IVA dos carregamentos dos passes em sede de IRS.
Preços dos transportes sobem até 2% em Janeiro
Miguel Baltazar/Negócios
Negócios 01 de dezembro de 2017 às 12:28
Os preços dos transportes deverão aumentar até um máximo de 2% no arranque do próximo ano. O valor é avançado na edição do Jornal de Notícias desta sexta-feira, 1 de Dezembro, e considerado "equilibrado" por parte do secretário de Estado Adjunto e do Ambiente, José Mendes.

O aumento ocorre apesar da subida da procura na generalidade dos transportes públicos - na ordem dos 5% no Porto e entre os 4% e os 6% em Lisboa -  e numa altura em que é necessário compensar custos.

O Executivo destaca a necessidade de cobrir a factura dos preços dos combustíveis e dos recursos humanos, numa altura em que se mantêm no terreno tarifas sociais e incentivos ao uso destes transportes, como a dedução no IRS dos carregamentos de passes e o alargamento dos descontos de 25% nos passes a crianças e jovens. 

José Mendes defende ainda que os aumentos serão parcialmente cobertos pela possibilidade de dedução do IVA (6%) dos carregamentos dos passes no IRS e que serão suficientes para os operadores libertarem recursos para o investimento. "Se começarmos a apertar muito a equação financeira das empresas, a qualidade vai degradar-se", avisa.

Apesar de o aumento dos preços ficar abaixo dos 2%, o JN salvaguarda no entanto que uns meios de transporte podem fazer aumentos superiores aos outros, desde que respeitando aquela fasquia.




A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 1 semana

É MEl mas para boys xuxas, famila de C. César que tem 35h, ADSE, carreiras descongeladas, etc. E os trabalhadores da AE nem tem " tempo" para WC.

Dono dos Burros Há 1 semana

EMEL, é mel para uns. EMEL- empresa municipal empregadora de LADRÕES.

Anónimo Há 1 semana

Já Agora gostaria de saber porque de cada vez que tenho de utilizar o parquimetro em Lisboa não tenho recibo onde ponho o contribuinte ?