Media Prejuízos da Sport TV mais que duplicam para 15,5 milhões até Setembro

Prejuízos da Sport TV mais que duplicam para 15,5 milhões até Setembro

O canal desportivo fechou os primeiros nove meses do ano com um resultado líquido negativo de 15,5 milhões de euros. As receitas, pelo contrário, aumentaram 16,5% para 102 milhões.
Prejuízos da Sport TV mais que duplicam para 15,5 milhões até Setembro
DR
Sara Ribeiro 25 de novembro de 2016 às 18:32

De Janeiro a Setembro deste ano a Sport TV registou prejuízos de 15,5 milhões de euros, um valor que mais que duplicou tendo em conta que no mesmo período do ano passado tinha registado perdas de 6,9 milhões de euros.

O canal desportivo, detido em partes iguais pela Nos, pela Controlinveste de Joaquim Oliveira e pela Vodafone Portugal, tem visto os prejuízos aumentarem há quase cinco anos consecutivos.

De acordo com as informações presentes no relatório e contas da Nos as receitas inverteram a tendência de queda, tendo crescido 16,5% para 102 milhões de euros.

No relatório divulgado à CMVM esta sexta-feira, 25 de Novembro, não há nenhuma referência aos motivos do aumento dos prejuízos do canal "premium". Mas a operadora, que registou um impacto negativo de 4,5 milhões de euros com os resultados da Sport TV, adianta que "durante o primeiro trimestre de 2016, a Sport TV devolveu prestações acessórias no montante de 41,5 milhões de euros através da entrega de dinheiro no montante de 25,3 milhões de euros e da cessão de créditos no montante de 16,2 milhões de euros".

Em Agosto a Sport TV também lançou um novo canal em sinal aberto, sem subscrição. O arranque da Sport TV+ implicou um investimento de 1,5 milhões de euros. O montante foi aplicado na renovação dos estúdios em Lisboa, em novas instalações no Porto, na compra de equipamentos técnicos e na contratação de cerca de 30 profissionais.

Nesse mesmo mês, a Vodafone Portugal passou a ser accionista da Sport TV. A entrada da operadora liderada por Mário Vaz no capital da Sport TV representou um investimento de 625 mil euros, como o Negócios tinha noticiado. A subscrição do aumento de capital foi "feita em dinheiro" através da emissão de 125 mil acções com o valor de 5 euros cada, avaliando a Sport TV em 1,87 milhões de euros.

A Meo também está em negociações para entrar no capital da Sport TV, o que levaria à redução da participação de Joaquim Oliveira, da Nos e da Vodafone para 25%.

Este ano o Tribunal de Concorrência, Regulação e Supervisão também condenou a Sport TV ao pagamento de 2,7 milhões de euros por abuso de posição dominante. O caso remonta a 2010 e tem como base uma queixa da Cogeco Cable, antiga accionista da Cabovisão, relativa ao modelo de remuneração do canal aos diferentes operadores.

Depois de analisar o processo, a Autoridade da Concorrência condenou o canal a pagar uma coima no valor de 3,7 milhões de euros pela prática da infracção de abuso de posição dominante no mercado nacional de canais de acesso condicionado com conteúdos desportivos "premium".

 

Uma decisão com a qual a Sport TV não concordou tendo, por isso, impugnado a mesma judicialmente. O que levou o Tribunal de Concorrência, Regulação e Supervisão a alterar a coima para 2,7 milhões de euros.


A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 20.02.2017

Estamos a alimentar uma grande quantidade de incompetentes pois não há escolas para esta gente que debita lixo para quem paga e devia ter o direito de ver a bola nas calmas cu som ambiente. RTP e SPORTV agencias de emprego.

5640533 28.11.2016

O canal dedicado está com prejuízos e as operadoras gastam fortunas para aumentar a oferta? Qualquer coisa não bate certo.

Anónimo 27.11.2016

NÃO FAZ MAL. DEVIAM TER MUITOS MAIS PREJUIZOS. QUEREM Q OS PORTUGUESES LHES PAGUEM O LUXO DO FUTEBOL. HAJA BOM SENSO. ISSO JÁ FOI TEMPO, TEMPO DE ILUSÃO Q AOS POUCOS VAIS ACABANDO. COSTUMA DIZER-SE Q QUEM TUDO QUER TUDO PERDE.

Anónimo 25.11.2016

Se não quisessem esmifrar os clientes, se calhar tinham muitos mais e ganhavam mais.

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub